quinta-feira, 11 de junho de 2015

a actualidade do dia-a-dia, numa visão pessoal do jornalista...!

Bom dia, já leu o Expresso Curto Bom dia, este é o seu Expresso Curto
Ricardo Costa
Por Ricardo Costa
Diretor
 
11 de Junho de 2015
 

Dia de Portugal, da TAP e do interrogatório a Sócrates 

Eu tinha tudo preparado para arrancar este Expresso Curto com uma análise ao último 10 de Junho do Presidente Cavaco Silva. E até um plano B sobre a venda da TAP, que pode ser consumada no Conselho de Ministros desta manhã. Mas, a verdade é que o caso que mantém José Sócrates em prisão preventiva domina boa parte da atualidade.
O Diário de Notícias regressa à decisão de terça-feira do juíz Carlos Alexandre e foi ouvir advogados e juízes que, segundo o jornal, dão razão à defesa do ex-primeiro-ministro e dizem que o Ministério Público e o juiz podem ter cometido uma ilegalidade ao não ouvirem de novo o ex-primeiro-ministro. O i escolheu outro ângulo: o do alegado perigo de fuga, invocado pela Procuradoria. É que este perigo tinha sido afastado pelo Tribunal da Relação, mas tanto Rosário Teixeira como Carlos Alexandre voltaram a usar este argumento.
São questões que os especialistas vão passar uns tempos a discutir, bem como as pontas soltas de um interrogatório que ontem a Sábado divulgou e que hoje faz abertura do Correio da Manhã. O jornal foca as alegadas suspeitas sobre o negócio de Vale de Lobo, que o Expresso já dissecou a 23 e 30 de maio. Segundo o que se percebe do interrogatório há agora suspeitas de luvas para a alteração de uma lei que pode ter favorecido este empreendimento turístico. No fundo, um caso muito parecido com o Freeport. Mas também, e isso dá que pensar, um caso muito diferente do que se foi sabendo desde que José Sócrates foi detido em novembro.

Hoje pode ser o Dia D para a TAP. O governo ainda não confirmou se o tema vai mesmo a Conselho de Ministros, mas tudo indica que sim. Depois de António Pires de Lima ter aconselhado os dois concorrentes a dar corda aos sapatos (sic) e a melhorar as respetivas propostas, o brasileiro-americano David Neeleman e o brasileiro-colombiano-polaco Gérman Efromovich subiram a parada. Pode ler aqui o nosso perfil de David (Conheça o David, ele quer a TAP) e as razões que fazem correr Gérman.
Chegados a este ponto, e depois de já tudo ter sido passado a pente fino, só falta mesmo o governo decidir e dizer se a privatização avança ou não e quem é o vencedor. Tudo isto acontece quando a situação financeira e de tesouraria da TAP está e condições muito débeis. Fernando Pinto dá esta manhã uma entrevista ao Diário Económico onde diz que as duas "propostas para a TAP são sólidas e dão garantias de futuro". Mas, pelo sim pelo não, garante que há um plano B para a companhia, no caso de o Estado decidir não vender. Mais umas horas e já sabemos. O briefing do Conselho de Ministros costuma ser pela hora de almoço e nós vamos estar sempre atentos no Expresso Online. 


OUTRAS NOTÍCIAS
Ontem foi dia 10 de Junho e os ecos do discurso do Presidente ainda se fazem ouvir. Caso tenha andado afastado das notícias no feriado, leia este artigo para perceber quais são os quatro objetivos que o Presidente estabeleceu para o futuro.
Se quiser só a lista dos objetivos, aqui estão eles: equilíbrio das contas do Estado e sustentabilidade da dívida; equilíbrio das contas externas e controlo do endividamento; competitividade da economia; e um nível de “carga fiscal “em linha com os concorrentes. Mas aconselho que leia o artigo. Afinal estamos a falar do futuro do país
As cerimónias de ontem, que decorreram em Lamego, ficaram marcadas por um protesto dos lesados do papel comercial do BES/GES, que apelaram ao Presidente para interceder num caso cada vez mais complexo e difícil de resolver, para desespero de quem perdeu todo o dinheiro que investiu.

O Público faz manchete com um tema que já anda pelas primeiras páginas há muito tempo. Tudo porque Portugal já não ganhava tanto dinheiro com as remessas dos emigrantes desde 2001. O saldo líquido entre as remessas que enviam para cá os portugueses no estrangeiro e os envios de imigrantes a viver cá é de 2522 milhões.

No DN faz-se as contas aos preços das casas em Lisboa, que subiram 8,6% em apenas cinco meses. Segundo o artigo, a explicação está na pressão exercida pela enorme procura de estrangeiros (com os franceses em lugar de destaque) e na descida dos juros.

Sobre a Grécia, bem, as notícias são quase sempre as mesmas, mas com o relógio sempre a andar. Os relatos do encontro de urgência de ontem, que juntou Tsipras a Merkel e Hollande, ainda não são muito detalhados. Uma vez mais há alguma esperança, mas uma vez mais não se percebe exatamente de onde vem essa esperança.

No Vaticano, o Papa Francisco anunciou a criação de um novo tribunal para julgar os bispos que forem acusados de ter protegido padres pedófilos. Os bispos que tiverem faltado ao "seu dever profissional" serão julgados pela nova instância judiciária no interior da Congregação para a Doutrina da Fé.

Quando ler este Expresso Curto, Portugal já estará a jogar os oitavos de final do Mundial sub-20. O jogo contra a Nova Zelândia começou às 8h30 (está a ser transmitido na RTP1) decide a nossa passagem aos quartos de final, numa campanha que tem sido imaculada.

Rui Vitória deve ser finalmente apresentado amanhã como técnico do Benfica, depois do choque da transferência de Jorge Jesus. Para que o dia seja em grande, Luís Filipe Vieira deve apresentar três reforços em simultâneo.

Para tristeza dos adeptos do F.C. Porto, a Gazzetta dello Sport garante que Jackson Martinez pode estar a caminho do AC Milan por quatro épocas, mas Pinto da Costa ainda tem a última palavra num negócio que tem uma cláusula de rescisão de €35 milhões.

Já agora fique a saber que Cristiano Ronaldo é o terceiro atleta mais bem pago do mundo, nas contas da Forbes, acabadas de divulgar. No primeiro lugar está o boxeur Floyd Mayweather e no segundo outro boxeur, Manny Pacquaio. Messi é o quinto na lista e Federer o sexto.


FRASES
"… desligadas da sua dimensão moral, a coerência e a coragem não só não são qualidades, como podem ser terríveis defeitos, próprios dos fanáticos". João Miguel Tavares, no Público, sobre os elogios à coragem da decisão de Sócrates sobre a pulseira eletrónica

"Cavaco fez bem em chamar ao palco o último ministro das Finanças de José Sócrates e deve tê-lo feito com enorme satisfação". Raul Vaz, no Diário Económico, sobre a condecoração de Teixeira dos Santos

"Se eu não tenho sido interrompido no meu mandato…". Godinho Lopes a defender que se tivesse ficado como Presidente do Sporting, Jorge Jesus já estaria em Alvalade há muito tempo


O QUE EU ANDO A LER
Na segunda-feira já tinha optado por recomendar a leitura de um artigo de uma revista e hoje volto a fazê-lo, em versão dupla, o primeiro de uma revista do final do mês passado, o segundo de um jornal de ontem. Os dois artigos são sobre o Snapchat.
Neste momento, se o leitor tiver menos de 25 anos não só sabe do que estou a falar como provavelmente usa esta rede social, incrivelmente popular nos jovens por se basear na partilha de imagens que se apagam ao fim de alguns segundos. Se tiver mais de 25, é natural que não use e/ou que não saiba o que é ou não esteja minimamente interessado no assunto.
Se ler estes dois artigos aposto que vai querer saber mais sobre o tema. Comece pela edição da Bloomberg Business Week e leia "Evan Spiegel reveals plan to turn snapchat info a real business". Siga este link para o artigo e poderá ver como o dono, fundador e CEO da empresa, Evan Spiegel, de apenas 24 anos, quer mostrar que o Snapchat vale os 15 mil milhões de dólares por que foi avaliado, depois de ter conseguido ter 100 milhões de utilizadores em apenas 44 meses.
A chave para uma valorização desta dimensão está na publicidade. E é sobre isso que o Financial Times de ontem escreve em “Snapchat looks to convert young user base into advertising gold”, num excelente e completo artigo publicado ontem (atenção que o jornal tem paywall). O sucesso do Snapchat é estranho porque é, de longe, a menos intuitiva das redes sociais e quase inatingível por alguém que tenha nascido antes de 1985. Mas presume-se que é exatamente essa aparente dificuldade, bem como seu estranho ambiente visual (que o New York Times definiu como ficando a meio caminho entre uma bizarra animação japonesa e uma série dos anos 80…), que faz os jovens preferirem esta rede... e a publicidade acorrer para lá, porque os jovens parecem muito afastados dos meios tradicionais.

Se o Snapchat é para quem anda pelos 13-25, o Expresso é mais como o Tintim e acolhe todas as idades. E assim é só ir ao Expresso Online a qualquer hora, onde vamos estar a atualizar muitas das pistas deste Expresso Curto e tudo o que mais acontecer. E ao fim da tarde já teremos pronto mais um Expresso Diário, com notícias em primeira mão, toda a informação organizada e explicada e artigos de opinião (onde eu vou escrever sobre o que penso do futuro da TAP, se o negócio fechar mesmo hoje). Amanhã bem cedo, aqui estará a Mafalda Anjos, com pontualidade e organização germânica.