domingo, 21 de junho de 2015

claramente, o destaque do dia...

Construtoras voltam a crescer e a criar emprego
 

"Pela primeira vez em 13 anos, o número de novos fogos em construção cresceu. No primeiro trimestre do ano construíram-se 1797 habitações novas, um aumento de 14,6% face a igual período do ano passado. Este é apenas um dos muitos indicadores positivos do setor da construção no primeiro trimestre do ano. O investimento cresceu 8,5% e o valor acrescentado bruto aumentou 7,6%, indicadores que estavam em queda consecutiva desde o primeiro trimestre de 2002. Mais importante ainda, o desemprego do setor recuou 21,8%, em abril, enquanto o número de insolvências diminuiu 20,6%.

Números que são tanto mais importantes se tivermos em conta que, só nos últimos cinco anos, a quebra acumulada do investimento na construção foi de 43,6%, enquanto a produção recuou, em termos acumulados, 32% ao nível das obras públicas e 58% na habitação. O número de novas habitações e novos licenciamentos, entre 2010 e 2014, caiu 70%, enquanto os concursos abertos e adjudicados foram 40 a 60% inferiores durante esse período. A quebra acumulada no consumo de cimento foi de 59%. Tudo isto levou a que se perdessem 260 mil postos de trabalho e ao desaparecimento de 37 mil empresas."





comentário:


não se deva ficar agradado [só] pelo facto de este sector estar a contribuir para o mercado de emprego, pois a macroeconomia agradeceria mais empreendimentos de [alto] valor acrescentado e diferenciadores no mercado, interno ou externo... isto digo eu, que não sou versado nesta área.