sábado, 11 de julho de 2015

a actualidade do dia-a-dia, nas escolhas do editor...

Martim Silva
POR Martim Silva
Editor-Executivo
 



As Escolhas do Editor 


Bom dia e bom sábado,
Há semanas que parecem meses ou anos, tal a quantidade de eventos que se sucedem e atropelam. A crise grega tem sido um desses casos. Basta lembrar que o referendo sobre o sim ou não, NAI ou OXI à austeridade, foi há apenas uma semana... mas a água que já passou por baixo da ponte entretanto.
O país pareceu próximo da saída do euro com a vitória gorda do não; 
O mediático, poderoso e pouco ortodoxo Varoufakis foi substituído por Tsakalotos; 
A Zona Euro viu os seus líderes e ministros das Finanças reunirem em duas cimeiras que não deram em nada; 
O relógio foi contando e os prazos a apertarem-se e o caminho a parecer cada vez mais estreito; 
Afinal, em cima da meta a Grécia apresentou mesmo um novo (terceiro) pedido de resgate e parece ter recuado e aceitado nova austeridade (apesar do resultado da consulta popular); 
E os líderes europeus, balanceando entre a vontade de manter a Grécia no Euro e a de a deixar cair, acabam a semana a admitir até voltar à discussão da renegociação da dívida grega; 

Ufffffffff 

E as coisas não acabaram ainda, pois este fim de semana é o tal que é considerado o D para a concretização de um acordo. 

Vamos às escolhas do melhor do Diário desta semana, que não fogem a esta montanha-grega. 

- Na terça-feira fizemos manchete do Diário com uma análise da situação grega, pela pena do João Silvestre. Com recurso a dez gráficos, que vão dos números do endividamento aos da economia, passando pelo pib per capita ou pelos dados da pobreza, traçamos um quadro que permite conhecer e perceber melhor a realidade de um país que está a decidir o seu futuro. Um futuro (pelo menos o mais próximo) que será sempre carregado de dificuldades. 

-A reportagem da Joana Pereira Bastos, que nas últimas duas semanas esteve na Grécia (e hoje faz capa da Revista E do Expresso) e que foi relatando um conjunto de impressionantes e impressivas histórias sobre a situação no país. Dos hospitais ao açambarcamento nos mercados e supermercados, aos pensionistas que não conseguiam levantar as pensões, ao fecho dos bancos e consequências na vida das pessoas e na chamada "economia real". Escolhi o texto da reportagem feita no maior hospital de Atenas. 

-Quem também andou pela Grécia foi o Daniel Oliveira, há muitos anos colunista do Expresso. Também ele escreve na Revista E de hoje. E também dele eu escolhi um dos vários textos que escreveu esta semana para o Expresso Diário. O Daniel Oliveira não é politicamente neutro. Toda a gente sabe. Mas é informado e informa-se para escrever o que escreve. Vale a pena lê-lo na crónica "Europa - Punxsutawney". 

-Ainda na opinião, destaco um dos textos escritos pelo Pedro Santos Guerreiro. Na segunda-feira escreveu ele no Expresso Diário "A Grécia na véspera de ser tarde de mais". O texto, apesar de ter sido escrito no início de uma semana louca, argumenta porque é que a Europa não pode mesmo deixar de dar a mão aos gregos. 

-Finalmente, ao longo da semana fomos publicando um conjunto de reportagens sobre gregos que vivem em Portugal. Como vivem e sentem a crise no seu país à distância? Maria Vlachou vive há vinte anos em Portugal. É consultora em gestão e comunicação cultural. Ela é o rosto do primeiro dos retratos que publicámos e que hoje reproduzo no Expresso Diário As Nossas Escolhas. 

Mas há mais vida para além da Grécia, 

Esta semana morreu Maria Barroso, que já estava em coma depois de ter caído em casa. O desaparecimento da fundadora do PS e mulher de Mário Soares aos 90 anos comoveu o país. O texto da Manuela Goucha Soares publicado no Diário merece ser lido.
Tal como o que o Henrique Monteiro escreveu.É um relato humano e pungente. E muito bem escrito. 

Dois últimos destaques.
O texto da Cristina Peres que ajuda a perceber o pânico nos mercados financeiros na China. E como 90 milhões de pequenos investidores na bolsa chinesa entraram em pânico e fizeram tremer todo o sistema financeiro de uma das maiores economias do mundo. 

O texto do Virgílio Azevedo que explica como nos Açores, que nos últimos meses viram o mercado aéreo liberalizado com o início das rotas das companhias low cost para o arquipélago, a Ilha Terceira está a ficar para trás. Com o aeroporto das Lajes e as restrições militares lá existentes, a Terceira não está a partilhar o boom turístico que está a beneficiar as restantes ilhas.

Ficamos por aqui. Hoje há a edição semanal do Expresso. Ao longo do fim-de-semana pode acompanhar os desenvolvimentos da crise grega no nosso site. E na segunda-feir regressa o Expresso Diário, como sempre pelas 18.00