terça-feira, 29 de setembro de 2015

a actualidade do dia-a-dia, numa visão pessoal do jornalista...!

Bom dia, já leu o Expresso Curto Bom dia, este é o seu Expresso Curto
Pedro Candeias
Por Pedro Candeias
Coordenador
 
29 de Setembro de 2015
 

Tudo se explica com três letras: H2O, CO2, ONU e PaF 


Sabe quantos filmes, tele-filmes, séries e mini-séries se fizeram à volta do tema Marte, marcianos, pequeninos homens verdes espertalhaços, monstros avermelhados e/ou musculados e não muito espertos? Trinta e um, segundo o IMBD, o que, convenhamos, é um grande 31 para quem os quer catalogar e categorizar.

Há aqueles cujo leitmotiv se esconde no nome, como a "Guerra dos Mundos", "John Carter", e o "Planeta Vermelho; e outros, que se anunciam a si próprios, como a "Missão A Marte", "Marte Ataca", "Invasores de Marte", "Fantasmas de Marte", "Robison Crusoe em Marte" (é verdade, existe) e "Perdido Em Marte". Este último foi o último a ver a luz do dia solar, mas, a julgar pelas críticas, será primeiro entre os seus pares [se gosta disto, gostará da próxima Revista E]. Porquê? Porque é de Ridley Scott e porque tem Matt Damon - e, porque, num estranho e curioso alinhamento de estrelas, astros e pó cósmico, é lançado mesmo, mesmo quando a NASA anuncia ter provas impermeáveis de que há água em Marte. É salgada e corre "pelos desfiladeiros e crateras durante os meses de verão."

Ora, será isto coincidência? O Guardian acha que não e que isso não faz mal, que é tudo pelo melhor. Já que a NASA patrocinou o filme ao emprestar-lhe o nome, que mal há em juntar os trapinhos? Nenhum. É tudo pelo espectáculo. E Marte, digo-lhe, é espectacular. Clique aqui, neste artigo interativo, e veja as fotos que justificam o anúncio à escala planetária.

Perguntará o leitor: mas isto é novo? É. E não é. Nos anos 70, encontraram-se vestígios de que havia por ali H2O; há dez anos, uma sonda enviou imagens com as mesmas suspeitas; e, em 2011, esses indícios foram reforçados com outras fotografias. Mas, agora, assume a NASA, é a valer, e a pergunta seguinte é óbvia: e vida, há? Não se sabe, mas [atenção aos clichés] há água e água é vida; e o nosso corpo é a prova viva. Portanto, durante os próximos três anos, a NASA irá enviar três naves com gente lá dentro para aferir se há algo que nasce, cresce e morre no Planeta Vermelho.


OUTRAS NOTÍCIAS
E se há um mundo por descobrir, há outro que se vai desfazendo aos bocadinhos- E dos seus destroços fogem milhares de corpos que nascem e crescem mas que não querem morrer. Da Síria e de outros conflitos no Médio Oriente apareceram os migrantes (ou refugiados, ou fugitivos) e uma das soluções para o problema está em cortá-lo pela raiz. Na sede da ONU, Putin e Obama discutiram o problema mas sobretudo discutiram um com o outro. Obama foi direto: Putin defende o governo de Assad, que é um tirano que mata crianças; Putin invadiu a Crimeia; Putin apoia os rebeldes na Ucrânia. E Putin, que já não falava na ONU há uma década, respondeu que o Ocidente era egomaníaco e que seria um "erro recusar a cooperação com o Governo da Síria e as suas forças armadas que estão valentemente a lutar contra o terrorismo, cara a cara." A Assembleia Geral anual dos líderes mundiais num ambiente de passa-culpa.

Pedir desculpa não chega, e Martin Winterkorn, o ex-CEO da Volkswagen que se demitiu quando o escândalo da manipulação dos valores da emissão de gases poluentes rebentou escape fora, será acusado de fraude pelas autoridades alemãs. A notícia é da Reuters e recupera os 11 milhões de carros truncados, os 18 mil milhões de dólares de multa (só nos EUA), e os danos de imagem incalculáveis no futuro. Winterkorn fez do VW o automóvel mais vendido do planeta, mas escolheu um corta-mato para lá chegar - e não travou a tempo. A VW não está sozinha e há uma tabela que mostra que todas as constutoras nos enganam com o CO2: a reboque desta manigância, a SEAT, a AUDI, Mercedes, Peugeot, BMW e a SKODA também vão foram pelo mesmo caminho.

O caminho do Papa Francisco faz-se caminhando, viajando e, agora, cantando. O Santo Padre (o Vaticano, vá) lança um álbum chamado Wake Up! que sairá no dia 27 de novembro e já há uma canção disponível para ouvir aqui. O Guardian escreve sobre um disco com toques de rock progressivo, laivos de pop e ginga latina. A Sua Santidade encontra Santana.

Vamos agora para outro tipo de música - e alguma lengalenga.


AS LEGISLATIVAS
Por estes dias, a redação do Expresso está menos recheada porque grande parte dela está campanhando nas Legislativas. No Expresso Diário poderá ler a Luísa Meireles e o seu "Cultura e Bolas de Berlim", os avisos de Lagarde de que o crescimento mundial se fará devagarinho (e que isto também implica Portugal), e, acima de tudo, a notícia da Ângela Silva e do Filipe Santos Costa: "Passos viabiliza Governo se Costa ganhar sem maioria".

Mas há um cheirinho a vitória na coligação, diz-nos o Nicolau Santos, e esta ideia parece reforçada pelas sondagens e inquéritos que se têm feito. No Intercampus do Público, TSF e TVI, o PaF tem 5,9 pontos de vantagem sobre o PS que cai 0,9 pontos. E diz que Marcelo Rebelo de Sousa e Rui Rio vão juntar- se a Passos Coelho na arruada no Porto, o que não diz tudo mas quer dizer muita coisa - porque há candidatos a Presidente da República metidos no cortejo.

Do lado socialista, António Costa falou de um Governo de Cultura na presença de Camané, Pilar del Rio e Eduardo Lourenço. Foi à hora de almoço, porque à tarde partiu para os Açores para um comício em Ponta Delgada.

Outros intervenientes: Paulo Portas falou em compromisso, em Pombal, quando confrontado pelo relatório da Comissão Europeia (CE) que diz que Portugal pode melhorar e até tem margem para subir impostos; Catarina Martins acusou a CE de se meter onde não era chamada; e Jerónimo criticou a "retórica" de António Costa, a conversa de Passos (que afirmou que Costa se devia demitir em caso de derrota eleitoral) e o "recado" de Bruxelas.


FRASES
"A legítima ambição da CPLP é ver a língua portuguesa reconhecida como língua oficial das Nações Unidas" Cavaco Silva, sem papas na língua, na ONU

"Sejam amigos" António dá-cá-mais-cinco Costa, a pedir apoio aos artistas com quem almoçou em Lisboa

"Eu vou cumprimentar o Casillas" José Mourinho, que anda de candeias às avessas com o espanhol desde Madrid. Hoje, encontram-se no FC Porto-Chelsea, para a Liga dos Campeões (19h45, RTP1). 

"- Vou ser guarda-redes, pai, ok?
- Guarda-redes? Estás a brincar ou quê?" Cristianinho e Cristiano Ronaldo, num dos diálogos do trailer do documentário sobre o jogador.


O QUE ANDO A LER
Comecei a lê-lo há dias e é de W.G. Sebald, sobre quem eu já escrevera num outro Expresso Curto. Dizem que este, "Os Emigrantes", é o livro dos seus livros e das páginas que levo lidas vejo-me metido num mundo de dor e de saudade e de morte e de crise em tempos de Guerra. Das duas Grandes Guerras e entre as duas Grandes Guerras. Sei que são quatro histórias de quatro homens em fuga e desespero, e eu estou na segunda, a do professor, que vem imediatamente a seguir à do médico. Falta-me, já procurei algures, o relato do tio-avô e de um pintor judeu de Munique,

Sebald é um misto de jornalista, historiador, confidente e narrador, e junta todos os estilos, misturando-os com fotos a preto e branco que lhe saem das investigações e buscas que faz. É um documento vivo sobre a morte em peregrinação - o que faz sentido, porque vivemos num planeta onde morrem migrantes.

Por hoje é tudo, espero por si num outro dia e até lá vá passando os seus dando uma vista de olhos aqui e aqui. A ideia é esclarecer quem não está esclarecido sobre onde deve pôr a cruz no dia 4 de outubro. 

Ouça David Bowie e tenha um bom dia.