quarta-feira, 30 de setembro de 2015

coisas da educação]... reflexões para o fim de dia...!

Pedido de divulgação | Concurso único – vamos acabar com as injustiças

by Alexandre Henriques
A colega Isabel Palma redigiu um texto para alertar e reivindicar a abertura de um único concurso e que foi enviado para todos os partidos. A colega incentiva todos aqueles que se sentem injustiçados ou que não concordem com este modelo de concurso, a enviar o texto em baixo para as sedes dos partidos políticos (os contactos estão no fim). O objetivo é inundar os ditos para que se faça luz...
Apesar deste espaço não se destinar a questões concursais, julgo que esta iniciativa é de todo pertinente e merece divulgação.Email
Ex. Srs.
Candidatos às Eleições Legislativas - 2015
Eu, profissional de educação/familiar de professor/amigo de professor (apagar o que não interessa), dirijo-me a V.ªs Ex.ªs com o intuito de os alertar para as graves injustiças, falta generalizada de transparência e tratamento manifestamente desigual, que se verificam atualmente nos processos de mobilidade interna, seleção, colocação e vinculação de professores.
A diversidade de vias que hoje existem para colocar um professor nas escolas públicas, permite que um professor contratado seja colocado numa escola sem que para isso tenha que se submeter a qualquer concurso. É possível que um professor recém-formado ocupe uma vaga numa escola em detrimento de outro professor do mesmo grupo de recrutamento, contratado consecutivamente pelo MEC há mais de 20 anos. É possível recusar o lugar numa escola a um professor de Quadro Escola há mais de 3 décadas e colocar no mesmo lugar um outro professor recém-vinculado e a realizar ainda o seu período probatório. É absurdo, mas é a realidade atual dos concursos de professores em Portugal. Colocam-se a horários zero quem não tem na realidade horários zero. Coloca-se em mobilidade por doença quem a ela não devia ter direito. Ler mais deste artigo
no com regras...