quinta-feira, 1 de outubro de 2015

a actualidade do dia-a-dia, numa visão pessoal do jornalista...!

Bom dia, já leu o Expresso Curto Bom dia, este é o seu Expresso Curto
Pedro Santos Guerreiro
Por Pedro Santos Guerreiro
Diretor Executivo
 
1 de Outubro de 2015
 


Costa, mete o Gaitán! 


Uma sondagem é só uma sondagem, mas todas as sondagens não são só todas as sondagens. Com a campanha eleitoral a dar as últimas, já não sobram muitos “empates técnicos” (curiosa expressão, aliás: há empates não técnicos?...). Sobram sim sondagens que dão a vitória à coligação PSD/CDS, que nos seus discursos cavalga a dinâmica de vitória. Eles acham que está ganho. “Nunca mais é domingo”, escreve a jornalista Ângela Silva esta manhã. "Coligação confia que a vitória está no papo. A dúvida é a maioria absoluta"

De crucifixo no bolso, Passos Coelho avança pelo cavaquistão que passou a passistão, e a que Portas prefere chamar “PàFistão”. Sim, o PSD compara Passos a Cavaco. Nos últimos dias, a coligação tem-se desdobrado em anúncios positivos e resistido a notícias negativas, como a de ontem de que os contribuintes poderão mesmo vir suportar perdas com o Novo Banco. Pedro Passos Coelho disse à SIC no início da semana que pode vir a descer a taxa social única das empresas, sem compensação através de impostos. O líder da coligação parece assim ter-se arrependido de criticar o PS precisamente por propor uma descida da TSU. Depois, Portas veio dizer que há espaço para descer impostos. Hoje, o Negócios noticia que o governo distribui aumentos salariais em véspera de eleições. O caso mais recente é o dos enfermeiros.

Se as sondagens estiverem certas, domingo será uma noite de glória para Passos. E uma noite dolorosa no PS, que da noite para o dia matará as vacas sagradas com facas longas, como diz o jornal i esta manhã.

“Não serei candidato a líder do partido”, exclama Francisco Assis, numa frase onde se entende o que se subentende: o Rato não pariu uma montanha. Logo abaixo, na mesma primeira página do i, Ana Drago parte do mesmo pressuposto: "Se a coligação não tiver maioria absoluta, é uma oportunidade para a esquerda". Uma oportunidade para quê? Para aproveitar a desfragmentação do PS? Veremos as votações do Bloco de Esquerda e do PCP, que, escreve o Henrique Monteiro, estão a fazer duas boas campanhas. E ficamos a saber que o PSD deu uma ajuda e avisou o PCP que estava a perder votos para Costa.

“Eu gosto da minha maneira de fazer campanha”, afirmou ontem Costa em Lisboa, que voltou a afastar-se do fantasma Sócrates, afirmando que “não temos um programa assente no relançamento de grandes obras públicas”. O PS não parece ter armas secretas para o que falta do jogo, nem trunfos de última hora para virar o resultado.

Quem teve arma, e não era secreta, foi o Benfica, que ontem limpou o Atlético em Madrid: Nico Gaitán, o pequenino que, como explica o Pedro Candeias na crónica do jogo, acordou de repente e com ele acordaram as esperanças dos adeptos encarnados. Depois da exibição espetacular do FC Porto contra o Chelsea na terça, e desta vitória ontem do Benfica, hoje é o Braga e o Sporting a entrar em jogo. Em Alvalade, contam-se os estilhaços da revelação do contrato de Jorge Jesus, que foi tornado público ontem, no chamado caso SportingLeaks.Segundo o DN, há suspeitas de pirataria informática na Segunda Circular. 

Haveremos de discutir sondagens como se discutem previsões meteorológicas e maldições em jogos. Perguntou o poeta brasileiro Carlito Azevedo: "A economia já previa o desabar da chuva no interstício de algum cálculo diferencial?".


OUTRAS NOTÍCIAS
É a notícia que abre hoje os "sites" dos jornais internacionais: a Rússia é acusada de matar civis nos seus primeiros ataques aéreos na Síria. Os bombardeamentos realizados esta quarta-feira naquele país atingiram alvos que não do Daesh, o autoproclamado Estado Islâmico. Foi o caso de pelo menos um grupo treinado pelos serviços secretos americanos, avança o New York Times, que avança que os americanos protestam contra os russos. O mesmo jornal explica quem está afinal a combater quem na Síria. Já o inglês The Guardian cita a mensagem de Washington: a América acusa a Rússia de "atirar gasolina para a fogueira" da guerra civil na Síria. E analisa: os ataques contra forças anti-Assad - e não apenas contra o Daesh - dão apoio militar ao regime de Damasco, mas a influência política de Moscovo pode ser mais importante.

França abriu uma investigação sobre crimes contra a humanidade que alegadamente terão sido cometidos pelo Presidente sírio, Bashar al-Assad.

Enquanto, na Hungria, o primeiro-ministro Viktor Orban diz que os migrantes e refugiados vão “destabilizar” a Europa pelo que devem regressar “às suas casas e ao seu país”, a Alemanha mandou imprimir dez mil exemplares da Constituição em árabe para ajudar a integração de refugiados. Mas o país quer limitar os pedidos de asilo, desincentivando os refugiados que chegam de países considerados seguros. Incluindo a Albânia, Kosovo e Montenegro.

Condenado por assassínio de 77 pessoas, o norueguês Anders Behring Breivik ameaça fazer greve de fome até morrer se as autoridades não mudarem as condições em que se encontra na prisão de Skien.

Foi um dia histórico: ontem, a bandeira da Palestina foi hasteada na ONU. Os EUA manifestaram-se contra: “Os Estados Unidos continuam a apoiar o tipo de solução de dois estados, um estado palestiniano viável, soberano e independente, a viver lado a lado, em paz e segurança, com Israel, judaico e democrático”, afirmou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

Na sua visita aos Estados Unidos, o Papa Francisco encontrou-se com Kim Davis, a chefe do serviço de registos numa cidade do Kentucky que, por motivos religiosos, recusou assinar certidões de casamento de casais gay. Jesus teria feito o mesmo, comenta o Vox.

Este ano, já houve 865 indivíduos a cumprir pena de prisão domiciliária ou com medida de coação. A violência doméstica corresponde a metade dos casos. É a manchete do Jornal de Notícias.

A desvalorização do BCP em Bolsa está a fazer estragos. Quem trocou obrigações por ações do banco está a perder 50%, noticia o Negócios. Seja como for, a bolsa tem cada vez menos peso face aos depósitos e certificados, regista o Económico, com base em dados da CMVM.

O BPI anunciou a intenção de fazer uma cisão, criando uma sociedade para onde transitarão as operações em África. O objetivo é separar o risco de Angola, e assim reduzir as necessidades de aumentos de capital impostas pelo BCE. Mas tudo está nas mãos da acionista Isabel dos Santos, que não parece disposta a viabilizar a cisão. E prefere comprar uma posição minoritária no banco angolano BFA.

"A principal barreira no acesso a cuidados de saúde foi o preço dos medicamentos, o que se faz sentir ainda mais entre desempregados, reformados e nas camadas da população com rendimentos mais baixos", escreve o Público hoje. São conclusões de um estudo encomendado pelo Ministério da Saúde à Nova School of Business and Economics. Já as taxas moderadoras e o custo dos transportes não tiveram impactos significativos para a maior parte dos doentes.

O crescimento económico mundial continua lento e desigual pelo quinto ano consecutivo e as previsões não são boas, sobretudo por causa do arrefecimento nas economias emergentes. Christine Lagarde, citada no Financial Times, mostra-se preocupada com os números "desapontantes".

O escândalo da fraude na Volkswagen continua a desfazer baralhos de cartas. Em Portugal, o Governo vai criar um grupo de trabalho para monitorizar os acontecimentos. Em França, quase um milhão de automóveis da marca estão afetados pelas emissões fraudulentas. No Reino Unido, a marca vai recolher quase um milhão de viaturas. Nos mercados de ações, a fabricante vai sair do índice de empresas sustentáveis. Nas fábricas, a produção está a cair. E consigo? Comprou um carro apanhado pelo escândalo Volkswagen? Então leia o guia de perguntas e respostas (incluindo sobre devolução do dinheiro).

França e Holanda compram a meias dois retratos de Rembrandt, noticia o Público. Os dois países vão pagar 160 milhões de euros por dois retratos, de comerciante de Antuérpia e da sua esposa, que a família Rothschild quer vender.

A comparação é da CNN: parece o filme "Ocean's Eleven". Uma empresa que opera no mundo das apostas de casino de Macau revelou ter sido vítima de um golpe multimilionário. Quase 30 milhões de euros desapareceram.

Com apenas dois euros, um apostador ganhou 15 milhões. A aposta no Euromilhões foi feita no Quiosque Valério, em Olhão, onde, segundo conta o Jornal de Notícias, houve uma "festa de arromba".

Notícia que pode interessar aos portugueses que estão a arrendar casa a turistas estrangeiros através do "site" entre particulares: a partir desta semana, em França, o Airbnb vai passar a cobrar diretamente uma taxa de residência dos seus clientes. No Le Monde.

Más notas na escola? A solução pode estar na alimentação. É o que sugere um estudo científico: os adolescentes com uma alimentação tipicamente ocidental (rica em carnes vermelhas, açúcares e gorduras) têm tendência a ter um desempenho escolar mais fraco. Já os bares de escolas violam regras, revela o DN: há bolos e doces a mais e fruta a menos.


FRASES
"O Papa mostrou durante a viagem a Cuba e aos Estados Unidos a grandeza do seu pensamento e a bondade da sua ação". Eduardo Paz Ferreira, no Jornal de Notícias.

“Alguns banqueiros trapaceiros fizeram o mesmo que a ministra que pediu à Parvalorem [gestora dos ativos tóxicos do BPN] para fazer”. Pedro Nuno Santos, citado no Observador.

“Não vou falar do PS, senão António Costa fica nervoso”. Jerónimo de Sousa, no Expresso.


O QUE EU ANDO A LER
Como vêem, continuo lendo poesia brasileira, como amiúde aqui tenho contado. Acima citei Carlito Azevedo, nascido no Rio de Janeiro há 54 anos, de quem li agora "Monodrama", editado em Portugal pela Livros Cotovia. É um livro de poemas longos (mas rápidos), cheios de personagens desconhecidos (mas familiares), que arranca falando de manifestações, de homens e de mulheres. "(Seu coração está aí, atrás dos ossos?)"

A parte final do livro é bem diferente, arrepiante e enlutada, com a série H., sobre a morte e a perda da sua mãe, que "estava com mal de Alzheimer" e no fim da vida perguntava todas as noites se o pai já tinha voltado para casa, o que obrigava o filho a repetir que o pai morrera fazia dez anos. "E todas as vezes era como se recebesse a notícia pela primeira vez".

Fechemos o livro, abramos o computador. "Um homem mutilado durante a guerra pode agora cuidar das campas dos seus próprios inimigos? Do que é capaz um comandante para salvar os seus próprios homens de um massacre? Um soldado não foge, mas pode chorar?" Leia já ou deixe para o fim de semana, mas não perca a extraordinária reportagem de Luís Pedro Nunes e Alfredo Cunha na Guiné-Bissau, a primeira colónia à qual Portugal acabaria por reconhecer a independência há quatro décadas. A edição multimédia é do João Santos Duarte, o grafismo vídeo do João Roberto e o web design da Maria Romero.

É um trabalho do Expresso, que o informa em tempo real no site, publica o Diário às 18 horas e amanhã (excecionalmente à sexta, por causa da campanha eleitoral) terá nas bancas o semanário com informações quentes e análises frias sobre as eleições de domingo.

Despeço-me abraçando gente cá de casa, que tantas vezes entra também na sua: o nosso Nicolau Santos celebra hoje 35 de jornalismo. Vai fazê-lo, claro, declamando poesia, esta noite, com o Quarteto Manuel Lourenço, numa sessão intitulada "O meu país já não existe". E aposto que dirá um "Portugal". Ou dois. O "Portugal" de Jorge Sousa Braga, de certeza. E talvez também o "Portugal" de Alexandre O'Neill.

"Ó Portugal, se fosses só três sílabas".

Aproveite o bom tempo, até porque a exposição diária e breve ao sol produz vitamina D para o ano todo. Tenha uma excelente quinta feira, entre de pé direito na sexta, reflita no sábado e no domingo , quando o sol estiver alto, meta as chaves no bolso, desça à rua, palmilhe algum chão - e vote!