quinta-feira, 15 de outubro de 2015

a actualidade do dia-a-dia, numa visão pessoal do jornalista...!

Bom dia, já leu o Expresso Curto Bom dia, este é o seu Expresso Curto
Martim Silva
Por Martim Silva
Editor-Executivo
 
15 de Outubro de 2015
 

A decisão de Cavaco: Pim, pam, pum, cada bola... 


Bom dia,
Pim, pam, pum…
Andámos durante meses em campanha para as legislativas e quase sempre a falar de presidenciais. Agora, chegada a hora da campanha das presidenciais, não paramos de falar das legislativas e das suas consequências e cenários e desfechos. É a vida, diria o engenheiro…

Hoje começo esta newsletter com um pequeno exercício (que talvez não seja recomendado para os estômagos mais fracos). Imagine o leitor por momentos que é Cavaco. Cavaco Silva. Que está em Belém. Que está indeciso e confuso e com dúvidas sobre o que fazer. Que pede os jornais do dia para ver se tem alguma ideia e luz para resolver o assunto. Há quem diga que vai dar posse ao Governo de Passos e Portas. Há quem diga que dá posse a um Governo de Costa se o primeiro chumbar. E há quem diga não faz nada disto e que vai manter um Governo de gestão até se ir embora de Belém, lá para Março.

No meio disto, se calhar o melhor é usar mesmo uma lenga-lenga para resolver o assunto:
Pim, pam, pum
Pim, pam, pum
Cada bola mata um
Da galinha p’ró perú
Quem se livra és tu!

Vamos lá então por partes:
Uma das notícias do dia é que o rio secou e Rui Rio já não vai ser candidato às eleições Presidenciais. Caminho ainda mais aberto para Marcelo.

Na novela da formação do Governo há mesmo muita matéria.
O foco agora volta-se com maior intensidade para Cavaco. Ontem ao final do dia o Expresso Diário afirmava que Cavaco deverá mesmo dar posse ao executivo minoritário liderado por Passos Coelho. Mas sobre o que o Presidente fará no caso, cada vez mais provável, deste chumbar logo na apresentação do seu programa, o aritgo da Luísa Meireles não apresentava uma solução fechada.

À noite, este trabalho publicado no Expresso Online traçava os diferentes cenários de governação para os próximos tempos, com as respectivas forças e fraquezas, apoios e críticos.

Hoje de manhã a confusão adensa-se. A generalidade da imprensa alinha pela tese de que Cavaco deverá mesmo manter a tradição e empossar um Governo liderado pela força que venceu as eleições. Mas depois as teses quanto ao que se pode passar a seguir são contraditórias. O jornal i afirma de forma taxativa que Cavaco recusará dar posse a um governo de esquerda e preferirá manter um executivo de gestão até deixar Belém. Só que a manchete do DN afirma rigorosamente o contrário, dizendo que Cavaco dará posse a um governo de Costa depois de Passos ser chumbado no Parlamento.

A coisa está pois confusa. Pim, pam, pum…

Entretanto, já temos a composição do próximo Parlamento completa, embora não saibamos como vai ficar a questão do Governo. Ontem ficou a saber-se, e aqui a tradição ainda é o que era, que a coligação conseguiu três parlamentares, contra um do PS, nos círculos da emigração.
Assim, PSD e CDS ficam com 107 deputados, o PS com 86, o BE com 19, a CDU com 17 e o PAN com 1. Mas há outras contas: a coligação tem mais dois deputados que a soma de PS e BE. Fica a nove da maioria absoluta. Os três partidos de esquerda somados têm sete deputados acima da maioria absoluta.

Quem votou PS não queria isto. O País está atónito com o que está a acontecer. Os eleitores isto, os eleitores aquilo. Estamos a ser inundados por afirmações definitivas a propósito de quase tudo o que está a acontecer. Mas raras vezes nos são dados dados sobre o que significa exatamente, e o que não significa, o voto dos eleitores. Este estudo sobre o comportamento do eleitorado nacional pode trazer algumas luzes. Tem, digo eu, a marca de água do Pedro Magalhães, provavelmente o nosso melhor politólogo.

Nas últimas horas houve imensas declarações e posições sobre este tema que domina a agenda política.

O primeiro-ministro deixou a posição defensiva dos últimos dias e passou finalmente ao ataque, dizendo que não está disposto a mais encontros faz-de-conta com o PS de Costa.

Se Passos ameaçou com a rutura e fez um últimato, o PS, através do seu presidente, veio responder à letra. Carlos César não poupou nas palavras.

O PCP continua as suas afirmações carregadas de táctica, com Jerónimo a meter a sua acha na fogueira, dizendo que nada impede o PS de formar Governo. Independentemente do desfecho das negociações com os socialistas.

Já o Bloco, através de Catarina Martins, voltou a afirmar o seu empenho no processo negociar em curso e garante que o seu partido não faz simulacros de negociações. A mesma Catarina vai encontrar-se em Bruxelas (onde hoje estão também Passos e Costa) com… Tsipras. Lá vai António Costa ter de tomar mais uns sais de fruto.

Um consultor de Cavaco Silva veio defender que um governo de esquerda em Portugal ainda assim ficaria a milhas do que o Syriza andou a fazer na Grécia.

Consequência também das eleições, o PCTP/MRPP prepara-se para afastar o seu líder e dirigente histórico Garcia Pereira. Por incompetência e anti-comunismo primários, depois dos resultados eleitorais de dia 4, em que não elegeram qualquer deputado e reduziram a sua votação em quase três mil votos.

Muito importante para se perceber o que se pode passar lá mais para a frente é este alerta do conselho das finanças públicas, liderado por Teodora Cardoso, que vê no horizonte um arrefecimento da economia (fruto da conjuntura internacional) com consequências cá dentro. Isto é, a tal grande folga que todos andam a prometer pode ser poucochinha poucochinha… 


OUTRAS NOTÍCIAS
Cá dentro,
Algumas centenas de pessoas juntaram-se em Lisboa para protestar contra a detenção política de activistas em Angola. Um grito justíssimo contra o regime de José Eduardo dos Santos e a sua falta de respeito pelos direitos humanos, cívicos e políticos e pelos princípios democráticos.

O presidente do INEM Paulo Campos já foi afastado na sequência do polémico transporte de uma doente não prioritária de helicóptero.

Marques Mendes vai passar o seu comentário semanal na SIC para os domingos. Mais uma consequência da candidatura presidencial de Marcelo.

Há mais dois vinhos portugueses que são colocados entre os melhores do mundo.

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, continua a fazer tudo para estar sob os holofotes mediático e agora diz que o Benfica pode descer de divisão.

Os encarnados é que não se ficam e parecem desta vez contra atacar com toda a força. A Sábado revela o processo do Benfica contra Jesus, o assunto é manchete do Correio da Manhã e parece que o clube da Luz quer que o agora treinador do Sporting pague… 14 milhões de euros. O caso já deu entrada no tribunal do Barreiro.

O jovem lateral benfiquista Nélson Semedo, ainda na última semana chamado à selecção nacional, está lesionado e pode não voltar aos relvados até final deste ano.

Golos de Moutinho e de Ronaldo foram escolhidos para figurar na lista dos dez melhores marcados por todas as selecções durante a fase de qualificação para o Euro 2016 de França.


Lá fora,
O conflito entre judeus e palestinianos em Jerusalém está a conhecer nova escalada nos últimos dias. Um conjunto de esfaqueamentos está a causar receios entre a população israelita e já há novos checkpoints a serem levantados as divisórias dos bairros judeus e palestinianos.

Na Grécia, o ministro das Finanças Tsakalotos aprovou um diploma que permite aos religiosos levantarem mais dinheiro nas caixas multibanco que o comum dos cidadãos.

A CNN mostra, neste trabalho muito curioso, quais foram alguns dos maiores escândalos empresariais e financeiros. Está lá a Volkswagen, mas também a Enron e a Petrobrás. São muitos milhares de milhões.

Nos EUA, esta análise no Politico mostra como Hillary parece ter saído mais forte na luta presidencial depois do debate com os candidatos democratas. E isto quando para a semana tem de responder perante o parlamento a propósito do caso dos mails enviados de uma conta pessoal quando era a responsável pelos Negócios Estrangeiros dos EUA.

O papel do Irão na guerra da Síria continua a aumentar, com centenas de militares iranianos a serem enviados para combater ao lado das forças de Bashar al Assad.

O antigo presidente do Panamá Ricardo Martinelli vai ser acusado de espionagem política.

Uma ponte provisória caiu em cima de uma estrada na África do Sul, fazendo dois mortos e dezenas de feridos.

Marlon James ganhou o Man Booker Prize. Mas afinal o que vale o livro do jamaicano? O Financial Times diz-nos. E aqui ficamos a saber como o escritor jamaicano é um caso fantástico de persistência. O seu primeiro livro foi rejeitado 78 vezes antes de ser publicado.

O músico americano Jay Z foi a tribunal responder pela acusação de ter copiado uma música. A acusação vem de um músico egípcio.

Ainda no mundo do showbusiness, Miley Cyrus estará a pensar em montar um espetáculo em que a grande novidade é o facto de tanto ela como a sua banda aparecerem em palco… nus.

Vem aí um novo livro do Astérix. E tem um personagem inspirado em.. Assange. Será o bardo Assangecourix?

Dez jogadores da Eritreia pediram asilo depois de terem ido ao Botsuana jogar contra a selecção do país nas qualificações para o Mundial de Futebol de 2018.


NÚMEROS
4
Quatro por cento foi o aumento de produção de energia pela EDP Renováveis nos primeiros nove meses deste ano.

300
Militares é quanto os EUA vão enviar para África para ajudar no combate aos terroristas do Boko Haram.


FRASES 
“Os partidos não deixam de ser quem são de um momento para o outro”, Francisco Assis, em entrevista à RTP3, mostrando-se muito crítico de um entendimento do PS à sua esquerda.

“Num país profundamente centralizado, lançar uma candidatura vencedora a partir de uma cidade que não a capital do país, é uma tarefa muito próxima do impossível”, Rui Rio, em estilo calimero, num artigo no Jornal de Notícias em que justifica a não candidatura a Belém.

“Ou o Bloco e o PCP estão mesmo disponíveis para os papéis de troféus de caça, ou é a cabeça de Costa que Corre perigo”, João Miguel Tavares, no Público

“Quem tem biografia limpa para atacar a minha honra?”, Dilma Rousseff, presidente brasileira, depois de o Supermo ter travado a votação do pedido de perda de mandato.


O QUE EU ANDO A LER
Aqui há uns anos, um fenómeno literário foi a trilogia Millenium, do sueco Stieg Larsson. Quem leu os livros certamente se recorta do seu ritmo frenético, da teia policial-cibernética que nos deixava sem fôlego e terá levado muitos, como eu, a irem a altas horas comprar o volume seguinte a uma FNAC com receio de entretanto acabarem um dos livros e não terem o seguinte para voltarem a mergulhar naquelas páginas.
Agora, Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomqvist voltam às nossas vidas. Com uma nuance, que é mais que uma nuance. O autor dos livros morreu entretanto. Mas a fórmula foi um sucesso tal que a trilogia deu origem a um novo livro, agora chegado às bancas, “A Raparida Apanhada na Teia de Aranha”, de David Lagercrantz, convidado pelos herdeiros de Larsson para dar seguimento à história.
Já li o novo livro. Recomendo, sobretudo para os amantes da trilogia. Os ingredientes estão lá todos. Crime, NSA, espiões, máfias russas, ritmo alucinante. Claro que a fórmula acaba por se esgotar ou cansar, e embora se possa dizer que o quarto volume já não é a mesma coisa, ainda assim são umas horas bem empregues. E para quem segue avidamente a loucura da vida política portuguesa, mergulhar no submundo de Estocolmo até parece história de embalar bebés.
Entretanto, li aqui na última noite que ainda veem ai mais dois volumes na saga, em 2017 e 2019.

Deixo-lhe ainda outra sugestão de leitura, encontrada quando andava a navegar na redes sociais. No site True Activist apareceu esta história:
Do que trata? Simples como isto: Uma das mais icónicas fotos de desporto de sempre, e de certeza que se lembra, é aquela imagem de dois atletas negros americanos que no pódio das olimpíadas do México de 68 levantaram o punho direito em sinal de protesto. A imagem ficou para a história. Mas a história menos contada é do atleta branco que também estava no pódio. Que, afinal, era tão ou mais herói pelos direitos cívicos e humanos que os outros dois. Mas que acabou ignorado e ostracizado. Acredite no que lhe digo, leia esta impressionante história de vida. Um verdadeiro exemplo. O nome? Peter Norman.

A ver ando a quinta temporada de Homeland. Que hoje tem o segundo episódio. Aqui, caso não se lembre, tem um resumo do que mais importante se passou para trás, nas quatro séries anteriores.

E pronto, por hoje é tudo.
Tenha uma grande quinta-feira