sexta-feira, 20 de novembro de 2015

informações [educação]... bibliotecas [formação], ciência [dia nacional] e azulejaria... no boletim do cirep...!

Boletim Informativo n.º174 - 16/11/2015


Informações Gerais

 
ETerna Biblioteca
Vai realizar-se, nos próximos dias 20 e 21 de novembro, a 13ª edição da “ETerna Biblioteca” - Encontro de Professores e Educadores do Concelho de Sintra sobre Bibliotecas Escolares.
O programa inclui conferências, mesas-redondas e ateliês protagonizados por escritores, poetas, editores, ilustradores, artistas plásticos, como Nuno Camarneiro, Inês Fonseca Santos e João Paulo Cotrim, entre muitos outros.
Destaque para a inauguração, no MU.SA – Museu das Artes de Sintra, da exposição de ilustrações de Pierre Pratt, também autor do cartaz desta edição, bem como para o lançamento do livro Roturas e Ligamentos, de Rita Taborda Duarte, com ilustrações de André da Loba. 
Filipa Leal irá ler "Pelos Leitores de Poesia" e Carlos Barretto, no contrabaixo, acompanhará José Anjos nas leituras de poemas seus e de outros poetas.
O encontro decorrerá no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra e foi acreditado pelo CCPFC com 0,6 créditos.

Semana C&T 2015
• Que ciência se faz em Portugal?
• Quem são os nossos cientistas?
• Como trabalham?
• O que investigam?
• Que resultados obtêm?
 
Estas são as perguntas às quais se pretende dar resposta durante a Semana da Ciência e Tecnologia e por ocasião do Dia Nacional da Cultura Científica, que se celebra a 24 de novembro.
De 23 a 29 de novembro, instituições científicas, universidades, escolas e museus de todo o país abrem as portas, proporcionando ao público oportunidades de observação científica e de contacto pessoal com especialistas de diferentes áreas do conhecimento, em colaboração com a Ciência Viva.
A participação nas atividades é gratuita.
 
No dia 24 de novembro, o Museu Nacional do Azulejo disponibiliza ao público a possibilidade de observar a conservação e restauro de azulejo no museu, bem como um conjunto de materiais e vitrinas pedagógicas sobre o contributo incontornável da ciência para o conhecimento da azulejaria.
 
O Museu tem parcerias com institutos e universidades que visam aprofundar o conhecimento sobre técnicas de produção, matérias-primas e degradação dos azulejos, no sentido de ultrapassar a ausência de documentação relacionada com a azulejaria pré-industrial e entender os processos de degradação que afetam este nosso património.