segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

a actualidade do dia-a-dia, numa visão pessoal do jornalista [1]...!

Bom dia América, olá Malhão
 
Começa hoje o ciclo das primárias que vão designar os candidatos presidenciais Democrata e Republicano, por cá, o costume, é a semana do Orçamento, escreve André Macedo
 
Segunda-feira, 01 de FEVEREIRO | 08:56
  DN
 

1. América
 
Os naturais do Iowa encontram-se hoje à noite em mais de 1600 edifícios públicos - escolas, pavilhões, bibliotecas, templos religiosos, mas também celeiros e cafés - em reuniões denominadas caucus para a escolha dos candidatos às eleições presidenciais de novembro. Do lado dos democratas, Hillary Clinton está ligeiramente à frente das intenções de voto sobre o seu rival mais direto, Bernie Sanders, um democrata bem à esquerda; enquanto entre os republicanos Donald Trump mantém uma vantagem evidente sobre Ted Cruz e uma confortável distância face aos restantes nove adversários. Será que é desta que Hillary consegue o que perdeu para Barack Obama ou voltará a ser ultrapassada pela esquerda, desta vez mais à esquerda? Bernie tem subido nas sondagens, tem um lado populista que ajuda, enquanto Hillary carrega o peso dos próprios erros e até os deslizes e disparates de Bill, que nestas eleições até parece sem grande inspiração para mobilizar multidões. Quanto a Trump, veremos se se confirmam as sondagens e se o risco de ser eleito leva Michael Bloomberg a avançar. Para combater um milionário, nada melhor que um zilionário - Bloomberg tem sete vezes a riqueza de Trump, embora seja judeu e liberal nos costumes, detalhes que uma parte da América desconfia.

2. O regresso dos reformados
 
Para compensar a falta de médicos de família, o Governo quer atrair reformados pagando-lhes até mais um salário além da reforma. Os médicos reformados que regressem ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) podem assim acumular a pensão com um ordenado completo. Esta é a proposta que o Ministério da Saúde está a trabalhar em conjunto com as Finanças, para tentar que, sobretudo na área da medicina familiar, não se acentue a falta de profissionais, já que esta é uma das especialidades mais afetadas - só em cinco anos reformaram-se 1299 clínicos. É para travar esta sangria que surgem estas medidas há muito discutidas e que a Ordem dos Médicos aplaude. Os doentes também. Veremos se o Orçamento do Estado tem capacidade para dar resposta.
 
3. Há 10 mil crianças desaparecidas
 
Trabalho escravo, exploração sexual e mendicidade - será para estes fins que estarão a ser usadas 10 mil crianças refugiadas, de países como a Síria ou a Eritreia, que desapareceram assim que chegaram à Europa. Vinham sozinhas, sem acompanhamento de adultos, e poderão ter sido presas fáceis para as redes de traficantes que raptam menores. O alerta foi dado pelo coordenador europeu da Europol, Brian Donald, em declarações ao semanário Observer. Ao drama sem fim dos migrantes, junta-se agora o choque das crianças. O que fará a União Europeia, além de deixar que cada país procure soluções individuais? Não há um caminho óbvio e fácil. Não é possível simplesmente a abrir as portas. Mas depois da "lei das joias", imposta na Dinamarca a semana passada - uma lei que permite que sejam retirados os bens acima dos 1340 euros aos migrantes que entram no país --, a situação continua a degradar-se. O espaço Schengen está, mais do que nunca, em risco; sem que surjam respostas políticas à altura das terríveis circunstâncias. É o salve-se quem puder.
 
4. Marcelo cumpre limite de velocidade
 
O futuro Presidente da República começa esta semana a trabalhar num gabinete no Palácio de Queluz e inicia conversações para a compor Casa Civil e a Militar. Mas os contactos políticos vão acalmar até à tomada de posse, isto é, Marcelo Rebelo de Sousa vai tirar o pé do acelerador e estará praticamente em black out até tomar posse, em 9 de março. Isto deois de, na semana passada, ter-se encontrado no mesmo dia com as três mais altas figuras do Estado: presidente da Assembleia da República, atual Presidente da República e ainda com o líder do Governo. A propósito do encontro com António Costa, vale a pena rever a foto que juntou Marcelo e Costa: há quantos anos não víamos PR (futuro) e PM em tão evidente camaradagem?
 
5. Infiltrados nas entrevistas de emprego
 
Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) quer alterar a lei para que seja possível 'infiltrar' inspetores que se façam passar por trabalhadores em entrevistas de emprego. A ideia foi avançada à TSF pelo inspetor-geral do Trabalho, Pedro Pimenta Braz, defendendo que esta seria a única forma de confirmar algumas das denúncias que tem recebido. Em causa estão, por exemplo, entrevistas de emprego que configuram recrutamentos ilegais de portugueses para o estrangeiro ou situações de discriminação de trabalhadoras grávidas.
 
6. E o Tino, onde anda ele?
 
De martelo na mão, agachado a consertar a calçada de uma das transversais da seleta Avenida Marechal Gomes da Costa, no Porto, Tino de Rans está um homem acabado de ser candidato a presidente da República. Três dias depois de ter sido a escolha de 152 049 eleitores (3,28% dos votos) para ocupar o cargo de mais alto magistrado da nação, Vitorino Silva já estava a pendurar o fato e a vestir a farda cinzenta e laranja de funcionário da câmara municipal. Leia a reportagem.
 
7. Depois do Azerbeijão, a Nigéria
 
A queda do preço do petróleo abriu um buraco colossal nas contas dos países emeregentes produtores do ouro negro. O Azerbeijão foi o primeiro a admitir um pedido de ajuda ao FMI e ao Banco Mundial -- quatro mil milhões de dólares. Agora é a Nigéria, que pode pedir emprestados 3,5 mil milhões. Outros vão seguir-se, os que não podem emitor mais dívida pública, ao contrário da Arábia Saudita, que não só vai vender dívida, como admite privatizar parte da empresa petrolífera nacional, que se tornará assim a maior empresa cotada do mundo, pulverizando Apple, Google, Amazon e a Exxon Mobile.
 
8. Ó malhão, malhão!
 
Era apontada pelo projeto Polis do Litoral Sudoeste (PLS) como uma intervenção inovadora nas praias portuguesas e uma solução para a erosão daquela costa. A verdade é que ainda antes da conclusão das obras no parque de estacionamento na praia do Malhão, em Odemira, já o pavimento e balizadores de plástico reciclado foram destruídos e os sinais de trânsito roubados. Apesar deste revés, os responsáveis garantem que a requalificação termina até à próxima época balnear. Seja como for, além dos problemas provocados pelo vandalismo, soma-se o desenho da obra: só visto a quantidade de madeira, um verdadeiro labirinto, que agora define a paisagem da encosta. Um verdadeiro horror.
 
E mais:
 
No desporto: Depois de 21 anos a representar o Chelsea, o capitão John Terry anunciou que vai abandonar o clube inglês no final da época. Mas não vai deixar de jogar.
 
Na tecnologia: A Apple prepara novas estratégias depois das vendas do iPhone e iPad terem estagnado, entre elas está a aposta na realidade virtual.
 
Nas Artes: Realizador do episódio IX da saga Star Wars quer filmar no espaço.
 
No Dinheiro: Semana decisiva para que o Orçamento do Estado receba luz verde de Bruxelas. Vai ser uma semana muito animada.