sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

a actualidade do dia-a-dia, numa visão pessoal do jornalista [2]...!

Bom dia, já leu o Expresso Curto Bom dia, este é o seu Expresso Curto

Henrique Monteiro
Por Henrique Monteiro
Redator Principal
 
5 de Fevereiro de 2016
 
Orçamento: Hoje Bruxelas vai dizer sim, maaaaas…
 

O Governo aprovou, ao fim de seis horas e meia, o Orçamento do Estado e espera o ok de Bruxelas, mas há quem diga que entre Bruxelas e Lisboa existem ainda 200 milhões de euros de divergência. Porém, como José Gomes Ferreira disse na SIC, que são 200 milhões no meio disto tudo? Muito pouco.
É também a SIC a dizer que o FMI e os próprios técnicos do BCE e da Comissão arrasam as previsões do Governo, embora as estimativas fossem sobre o primeiro documento e não sobre a sequência de negociações, que trouxe alguma austeridade adicional. O importante é que a expressão “sério incumprimento” não figure entre as palavras dos Comissários. O Governo sabe que vai ser criticado, mas espera que haja luz verde. É o sim, mas… Quanto à dimensão do maaaaas, ver-se-á.

Na TVI, a comentadora e ex-líder do PSD Manuela Ferreira Leite afirma que em termos formais e políticos Costa ganhou a Bruxelas, embora considere "produto de alguma fantasia" a discussão sobre o défice estrutural. Diz a ex-ministra das Finanças que "são conceitos de tal forma teóricos que julgo que não há duas pessoas que cheguem ao mesmo cálculo". E foi isto que andámos a discutir...

Com este Orçamento, e segundo a nossa página na Internet, Portugal fica nos cinco países com a gasolina mais taxada da Europa; vai ter o pior défice da zona Euro; corta 30% de incentivo à compra de carro elétrico. Aqui, pode ver o que sobe, o que desce e o que fica na mesma. É um guia para perceber o OE. Devo dizer que os cafés e águas sem gás a taxa reduzida, me satisfazem. Porém, como me dizia o senhor Costa, ali de um restaurante que frequento, “isto vai ser ótimo para os informáticos que têm de mudar as máquinas todas”.

À medida que veem algumas cedências do Governo, PCP e BE pressionam pelas 35 horas. Ana Avoila já veio dizer que há um compromisso. Isto, numa semana em que a nota foram as acusações de traições e quintas colunas da direita, parece abrir-se uma coluna (a sexta?) à esquerda… Como, também hoje é entregue no Parlamento português a proposta de OE, poderemos ficar a saber o que pensam os parceiros do Governo. Segundo contas do 'Observador', BE, PCP e PEV têm de votar a favor 200 vezes para que o documento seja aprovado.

Ontem à tarde, o correspondente do ’Financial Times’ em Lisboa, Peter Wise e o correspondente do mesmo jornal em Bruxelas, Peter Spiegel, faziam um longo texto sobre o embaraço português de poder ver o seu orçamento rejeitado. Não creio que tal aconteça. Por cá dizia-se o contrário, que Pierre Moscovici já tinha tudo resolvido. No entanto, e apesar das autoridades portuguesas se mostrarem confiantes junto do FT, Moscovici confirma que as últimas medidas do Governo português vão na direção certa, mas que ainda há trabalho para fazer. A reunião especial da Comissão para analisar o nosso OE é esta tarde, às 13h.

Na Imprensa nacional, diga-se que no 'Diário de Notícias' sobressai a ideia de que são as empresas as mais penalizadas. De acordo com o jornal, o IMI sobe para comércio, serviços e indústria ao passo que o IRC e a TSU não baixam. Curioso é o facto, também noticiado pelo 'DN' de o acordo do brexit ter beneficiado Portugal. O 'Negócios' segue o mesmo caminho e diz que os grupos económicos vão pagar mais IRC. Na primeira página, com fotografia, o homem do FMI para Portugal, Subir Lall diz (numa entrevista no interior do jornal) que o estímulo ao consumo terá impacto mínimo e mantém que o aumento do salário mínimo pode ser prejudicial para o emprego. Já o 'I' diz que há um "colossal" aumento de impostos para os condutores. E exemplifica: Imposto Único de Circulação, Imposto Automóvel e imposto sobre os combustíveis disparam. O 'Público', embora referindo o Orçamento (diz que o Governo está confiante que já satisfez exigências da Comissão) puxa pelo encontro entre Costa e Merkel, afirmando que o PM português oferece à congénere duas mil vagas no ensino superior para refugiados. Resta o 'Correio da Manhã' onde se afirma que o "IRS castiga 'ricos' acima de 1700 euros brutos". Porém o grande destaque da publicação vai para o esquema de luvas milionárias do ex-empresário de futebol José Veiga que envolverá, além dos já detidos Paulo Santana Lopes e Ana Barbosa, os ex-presidentes do Sporting Godinho Lopes e do Benfica António Damásio, além de "dirigentes da banca, das finanças e jornalistas". Os muitos milhões de Veiga (que também deveria 12 deles ao fisco) pensa a investigação serem oriundos de um esquema na República do Congo e dos laços estreitos com o Presidente do Gabão.


OUTRAS NOTÍCIAS
Passos Coelho agora na versão social-democrata é de novo candidato a líder do PSD. De acordo com o ex-primeiro-ministro, ele sempre foi social-democrata. E a verdade é que dentro de um partido que tem esse nome, ainda não apareceu mais ninguém a disputar-lhe a chefia. Ah! E diz que está disposto a ser primeiro-ministro, que o seu projeto ficou interrompido e que se dispõe a realizar acordos com o PS e Costa se estes deixarem os parceiros atuais, BE e PCP. O Congresso é a 1,2 e 3 de Abril.Um destes dias (ou todos) é dia das mentiras... E para que não se riam os do Governo, diga-se que tais dias nascem para todos... os que são ou foram do Governo.

Já agora, e porque o trabalho é bem explicadinho, veja aqui, em apenas 2 minutos e 59 segundos, como os bancos destruíram 40 mil milhões de euros. Talvez perceba melhor os 171,5 milhões de prejuízos declarados pela CGD.

Dois membros do PS, um dirigente do secretariado nacional - Hugo Pires - que é presidente da concelhia de Braga e um ex-vice presidente da Câmara da mesma cidade - Vítor de Sousa - foram detidos sob suspeita de corrupção. O primeiro, cuja imunidade parlamentar já foi levantada, é investigado por crime de participação económica em negócio; o segundo por administração danosa nos Transportes Urbanos de Braga.

Um painel da ONU decidiu que Julian Assange (lembram-se do fundador da Wikileaks?) está numa situação ilegal e inaceitável ao ver-se obrigado a estar refugiado na Embaixada do Equador em Londres há três anos, para não ser deportado para a Suécia, onde é acusado de crimes sexuais. Recorde-se que a nacionalidade de Assange é australiana.

Na companhia anglo-holandesa Shell temem-se milhares de despedimentos depois da petrolífera ter anunciado uma queda de 80% nos seus lucros. Mas ideia de aproveitar o petróleo barato para taxá-lo mais não é só portuguesa. Obama quer um imposto de 10 dólares por barril de petróleo.

Foram detetadas três falhas nos testes dos medicamentos da Bial em França, de que resultou um morto. De acordo com a ministra francesa da Saúde o erro será do laboratório francês a quem a Bial encomendou os testes. As causas diretas da morte continuam, no entanto, por esclarecer.

O zika, a doença mais recente que o mundo conheceu, propagada por um mosquito, chegou a uma grávida europeia e logo na Catalunha. Uma mulher terá contraído o vírus na Colômbia. Entretanto no Brasil soube-se que o vírus foi contraído por um paciente numa transfusão de sangue.

O narrador e carrasco do último vídeo do Daesh é de origem portuguesa. Chama-se Steve Duarte

Depois de anteontem o FC Porto ter posto quase os dois pés nas meias-finais da Taça de Portugal, o mesmo não se pode dizer do que fez o Braga. Recebendo o Rio Ave em casa ficou-se por magro 1-0. A final ainda pode ser entre os dragões e os minhotos, mas o de Vila do Conde ainda têm uma palavra a dizer.

No Superbowl a publicidade custa 150 mil dólares (133 800 euros) por segundo, Ou seja, um anúncio de 30 segundos fica na módica quantia de 4,5 milhões de dólares (um pouco mais de quatro milhões de euros).


FRASES
“É sensato preparar-nos para a próxima recessão”, isto diz Martin Wolf, no ‘Financial Times’ e não se refere a Portugal, mas ao mundo. É sensato preocupar-nos com o que ele diz

“Primeiro Corbyn agora Sanders: como o desespero dos jovens votantes está a dar gás a movimentos de esquerda”, uma opinião do também jovem colunista Owen Jones (31 anos) no ‘The Guardian’, em que vale a pena refletir

“Infelizmente, e com tristeza o digo, pela consideração que tenho por Vital Moreira, o apontamento dele não é menos abusivo do que o discurso de Paulo Rangel no Parlamento Europeu acerca da minha entrevista”, escreve Porfírio Silva, secretário nacional e um dos ideólogos do PS, no seu blogue ‘Machina Speculatrix’, acerca de críticas que lhe foram endereçadas por uma entrevista onde afirmava “Corremos o risco de a Europa se transformar numa URSS sem KGB”

“O acordo de Governo com o PCP e o BE, a aposta na eliminação acelerada da austeridade orçamental (mesmo pondo em risco a necessária consolidação das contas públicas), a reversão da privatização e concessão de empresas públicas problemáticas, o discurso político mais aguerridamente ideológico, a adoção de Sampaio da Nóvoa como candidato presidencial oficioso e o atual embate com a Comissão Europeia sobre o orçamento (…) são traços que destoam do tradicional posicionamento do PS no centro-esquerda moderado (…)”, afirma Vital Moreira, no blogue ‘Causa Nossa’, no texto onde um dos exemplos dados é a entrevista de Porfírio Silva.

 
O QUE EU ANDO A LER
Ando a ler um livro fundamental e, aqui entre nós, bastante barato. Está a ser distribuído gratuita e semanalmente com o Expresso (amanhã sairá o quarto de seis volumes) e chama-se, apenas, ‘Cultura’. Já passámos pela Antiguidade Clássica e pela Idade Média (I volume); pelas Idades Moderna e Contemporânea (II volume); pela Literatura Europeia e História da Arte (III volume) e amanhã teremos a História da Música e ainda os Grandes Filósofos, Ideólogos e Representações Científicas do Mundo. Ficam a faltar A Linguagem, o Mundo do Livro e da Escrita e a Geografia Política (V volume) e A Inteligência, Talento e Criatividade; O Que Não Convém Saber e o Saber Reflexivo, contendo ainda uma lista de livros que mudaram o mundo e livros para ir lendo (VI volume). O autor desta obra Dietrich Schwanitz é um alemão que viveu entre 1940 e 2004, senhor de um saber enciclopédico e de uma linguagem acessível a todos que nos oferece um livro cheio de sabedoria. Aliás os seu subtítulo é, precisamente, “Tudo o que é preciso saber” e não defrauda ninguém.

Se por acaso cometeu o erro de não colecionar o Expresso ou não tem paciência para ler o livro dividido em seis parte, perca amor a 22,90€ e compre-o online na FNAC, por exemplo (também tem em segunda mão a partir de 12€). É da editora D. Quixote.

E por agora é tudo. Às 18h tem o Expresso Diário e amanhã a Edição Semanal, que é também a edição seminal de tudo o que fazemos hoje. Além de, em formato digital, ter as escolhas do melhor do Expresso Diário. Segunda-feira a esta hora cá estará o Curto.

Bom fim de semana
 
 
via expresso...