terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

a actualidade do dia-a-dia, numa visão pessoal do jornalista [2]...!

Bom dia, já leu o Expresso Curto Bom dia, este é o seu Expresso Curto

João Vieira Pereira
Por João Vieira Pereira
Diretor-Adjunto
 
2 de Fevereiro de 2016
 
Centeno ou sem tino?
 


Bom dia,

Começo com uma notícia de última hora que dá conta de que uma ameaça de bomba num avião da TAP, com 38 passageiros, impediu que o aparelho levantasse voo do aeroporto de Faro. As autoridades decretaram o alerta laranja. Pode acompanhar aqui todos os desenvolvimentos sobre este assunto.

Em poucas semanas Mário Centeno passou de herói do cenário macroeconómico a mago da contabilidade criativa. Se essa for a perceção interna não vem muito mal ao mundo. Não é nada que não tenha acontecido a outros. Vítor Gaspar foi recebido como a estrela que ia resolver a crise financeira. E Luís Campos e Cunha era considerado o homem forte de Sócrates para as Finanças (com a ressalva que o tempo viria a mostrar que este tinha a razão do seu lado).

O problema é quando essa imagem é criada lá fora. Logo quando o ministro das Finanças tem pela frente um trabalho para lá de difícil: convencer Bruxelas de que as suas contas podem bater certo. Se por cá se diz que os trabalhos prosseguem a bom ritmo, do centro da Europa vem outra versão: persistem “grandes diferenças”. Um claro aviso de que um entendimento está longe de ser alcançado. Portugal será inclusive um assunto a ser debatido hoje pela Comissão Europeia.

E sabemos que algo vai mal lá para o lado do Terreiro do Paço quando as negociações com a Europa em torno de um simples orçamento são totalmente assumidas pelo primeiro-ministro.

O Público escreve hoje que António Costa tem quatro dias para chegar a acordo com Bruxelas. O Diário Económico diz que já se exige, a Costa, a revisão do Orçamento. E o Diário de Notícias conta que a troika tem receio de que Portugal falhe pagamento a credores, num trabalho ilustrado por uma fotografia de Costa e Merkel e onde nem uma vez é escrito o nome de Mário Centeno. O Negócios é o único jornal que. não fazendo manchete com o assunto - “Governo prepara pequenas cedências a Bruxelas”, coloca Centeno como uma das figuras desta crise.

Déjà vu? Parece que estamos, com as devidas ressalvas, a reviver a discussão que levou a Grécia a mais um programa de ajustamento. De um lado um Governo a dizer que tudo estava bem com as negociações e do outro o poder de Bruxelas a dizer que nada estava acordado.

E como em todas as negociações terá de haver cedências de ambas as partes, começam a correr os rumores que se prepara já uma nova subida de impostos. Para saber quais as linhas com que se cose o Governo, o Expresso fez as contas e mostra-lhe que medidas podem ser anunciadas nos próximos dias.

1 de Fevereiro ficará conhecido como o dia em que o vírus zika foi declarado como o novo inimigo número 1 da saúde mundial. A OMS considerou-o uma Emergência de Saúde Global, colocando-o na mesma categoria do ébola. Neste trabalho do Expresso pode ler tudo sobre o zika: o que é, como se propaga, quais os sintomas, como prevenir e qual o risco para Portugal.

Aqui pode ainda encontrar a lista de países onde está confirmada a presença do vírus e outros onde há suspeitas. E já agora vale a pena ver também esta infografia sobre o assunto na qual mostra que há relatos da doença desde 1952, ano em que foi detetado o primeiro caso em humanos.

O Brasil está no epicentro deste surto, e o estado de Pernambuco, com as suas paradisíacas praias, como Porto de Galinhas (conhecida das férias de muitos portugueses), será a zona zero, com mais de mil bebés nascidos com microcefalia. E a Colômbia já é o segundo país mais afetado.

Num ano de Jogos Olímpicos, as consequências deste surto poderão ser devastadoras para a economia do Brasil. De acordo com o Le Parisien, o próprio governo do Brasil aconselhou as grávidas a não se deslocarem a este país para os Jogos Olímpicos.

Para combater o surto, o Brasil decretou o próximo dia 13 de fevereiro como o Dia D deste combate, durante o qual o Ministério da Defesa colocará 60% das suas Forças Armadas nas ruas a distribuir folhetos para que a população colabore na luta contra os focos de proliferação.

Atualmente, na cidade de São Paulo, 2.500 funcionários municipais, escoltados por soldados, andam de casa em casa, à procura de larvas. No âmbito da Declaração de Emergência de Saúde Pública, o governo autorizou a entrada forçada em casas particulares para eliminar qualquer vestígio do mosquito.

Há pelo menos uma empresa a ganhar com este problema, a Intrexon, que modifica geneticamente os mosquitos para combater o zika. Ontem viu as suas ações subirem 11%.

Perante este surto global, a BBC Brasil procurou a resposta para a pergunta “E se eliminássemos todos os mosquitos transmissores de doenças?". Pode ler o artigo aqui.


OUTRAS NOTÍCIAS
Comecemos pelo Iowa. Quem será o candidato republicano e o democrata às próximas eleições presidencias nos EUA? O processo de escolha começou esta madrugada naquele “pequeno” estado do interior. Para começar importa perceber porque é que são tão importantes as primárias no Iowa, um estado que está longe de ser representativo do eleitorado norte-americano. Para perceber veja este rápido vídeo do New York Times. As sondagens davam um ligeiro avanço a Donald Trump, por parte dos republicanos, e a Hillary Clinton do partido democrata. Só que o excêntrico e polémico magnata acabou por perder o primeiro combate para Ted Cruz. “Humbling loss”, escreve o New York Times. Ted Cruz terá ficado com 28% dos votos, contra 24% de Trump, e 23% de Marco Rubio, o senador da Florida.

Se do lado republicano houve surpresas, do lado democrata também. Hillary Clinton terá ganho mas por muito pouco. Os jornais falam de um empate entre a candidata e o senador Bernie Sanders.

E já agora veja como olham as crianças americanas para os candidatos nesta interessante, didática e divertida reportagem do Washington Post.

Um novo acordo entre a União Europeia e o Reino Unido poderá estar concluído já no próximo dia 18 de fevereiro a tempo da próxima reunião do Conselho Europeu. Pelo menos essa é a esperança de Donald Tusk, que espera poder apresentar já na próxima quinta-feira as novas propostas. Se as negociações falharem deverá ser convocado um conselho extraordinário ainda em março para que seja possível a David Cameron realizar o referendo sobre a permanência do Reino Unido na EU a 23 de junho.

O Reino Unido é o primeiro país autorizar a manipulação de genes de embriões humanos. Apesar de ser proibido implantar os embriões modificados em mulheres, a medida já está a causar polémica. Veja aqui como se procede à manipulação.

O Facebook tornou-se na quarta empresa mais valiosa entre as cotadas, destronando a Exxon Mobil. São "só" 325 mil milhões de dólares. Para termos uma comparação, o PIB portugues não chega aos 200 mil milhões de dólares. A empresa de Mark Zuckerberg continua a apostar na inovação, mas está a centrar toda a aposta na oferta de aplicações para os dispositivos móveis. E já que estamos nesta ordem de grandezas, a Alphabet, a empresa mãe da Google, deverá ultrapassar hoje em valor a Apple. O seu valor poderá chegar aos 570 mil milhões de dólares, contra a capitalização bolsista de 535 mil milhões da empresa fundada por Steve Jobs.

Mas nem todos são fãs de redes sociais. Há quem, entre os millennials, se cansou de mostrar a sua vida pela internet.

Quem voltou aos lucros foi o BCP. Quatro anos depois, Nuno Amado fechou um ano com sinal verde, ao lucrar 235,3 milhões de euros. Para isso foi necessário uma reestruturação profunda do banco que ainda não está terminada. Veja aqui qual a nova estratégia para o maior banco privado português.

Se falamos em milhões temos obrigatoriamente hoje de falar de futebol. Fechou ontem à meia-noite oficialmente o mercado de inverno das transferências. Pode ver aqui todas as transferências do mercado. Com destaque para a venda milionária de Imbula, o Ferrari. O jogador do Porto foi vendido ao Stoke City por 24 milhões de euros.

Uma boa notícia para os amantes do Jazz. O The Guardian elegeu os 10 melhores clubes de jazz e o Hot Club, em Lisboa, encabeça a lista.

 
O QUE DIZEM OS NÚMEROS
1.000 milhões de dólares é quanto o Twitter ganhou só num dia, tudo graças a um rumor.

1.000 é número de pontos de venda de jornais e revistas perdidos em França em 2015. Atualmente França conta com 25.000 locais de venda de imprensa, contra 30.000 em 2008.

99 milhões de anos é o tempo que pode durar uma ereção. Mas tem de ser de um aracnídeo e tem de estar preservado em âmbar.

 
O QUE EU ANDO A LER
Uma reportagem interativa imperdível e um novo livro de Yann Martel.

Primeiro pare por aqui. Mesmo que pense que já viu todas as reportagens possíveis sobre o drama dos refugiados não deixe de ver este trabalho interativo do The Washington Post : “The waypoint” é apresentada como uma viagem visual a Lesbos, “the gateway to Europe”. Mas é muito mais. É, mais um, murro no estômago.

Agora o livro.
“Tomás decides to walk. From his modest flat on Rua São Miguel in the ill-famed Alfama district to his uncle’s stately estate in leafy Lapa, it is a good walk across much of Lisbon.”

Já passaram 15 anos desde que o canadiano Yann Martel nos brindou com o refrescante “Vida de Pi”. Ao ler a sua maior obra ficámos a saber que o autor sempre quis escrever um romance passado em Portugal. Mas uma viagem à India e o encontro com a fábula de Pi fê-lo esquecer esse projecto. Até agora. Hoje, dia 2 de fevereiro, é colocado à venda o seu novo livro, “The High Mountains of Portugal”.

As críticas ao livro deixam algo a desejar. Estamos perante não um, mas três contos diferentes passados em Portugal, onde a imaginação de Martel navega em surpresas constantes. Onde imperam menções a revelações religiosas, relações intraespécies e tudo com muito irrealismo à mistura. Tomás, por exemplo, tem por hábito percorrer as ruas de Lisboa sempre a andar para trás. Apenas porque decidiu virar as costas ao mundo e a Deus no seguimento da morte da sua paixão, do seu filho e do seu pai no espaço de uma semana. E fá-lo apenas porque decidiu objetar, “porque quando tudo o que estimas na vida te é tirado, o que há mais a fazer do que objetar?”

Longe do brilhantismo de a “Vida de PI” (a comparação não é minha), esta será contudo uma obra que prenderá muitos pelas referências que faz a Portugal.

Não é todos os dias que começamos a ler um livro em que partilhámos a mesma morada com a personagem principal. Eu que morei em Alfama numa casa virada à rua de S. Miguel não consegui parar de ler. Pelo menos até ter de me sentar para escrever este Expresso Curto.

Se gosta de ler em inglês e já optou pelos formatos digitais dos livros fica aqui o link onde o pode comprar. Também pode ler aqui um pequeno aperitivo do primeiro capítulo.

Hoje fico por aqui. Desejo-lhe uma ótima terça-feira, amanhã o Expresso Curto regressa pelos dedos de Nicolau Santos.
 
 
via expresso...