quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

a começar o dia [agora e a terminá-lo já de seguida]... com 'inutilidades'...?

2016-02-24 às 14:06

 

"ESTUDO MOSTRA QUE DESIGUALDADES SOCIOECONÓMICAS AFETAM RESULTADOS ESCOLARES

O estudo «Desigualdades Socioeconómicas e Resultados Escolares», que a Direção-Geral de Estatísticas de Educação e Ciência acaba de publicar, relaciona os resultados escolares dos alunos do 3.º ciclo do ensino público com as qualificações académicas das mães dos alunos e com o nível socioeconómico dos agregados familiares, apurado através do escalão da Ação Social Escolar.

Os principais resultados deste estudo são:
  • No total nacional, o nível socioeconómico dos agregados familiares é um preditor do sucesso escolar, na medida em que os alunos oriundos de famílias de baixos rendimentos apresentam taxas de sucesso mais baixas;
  • No total nacional, as habilitações académicas das mães são um preditor do sucesso escolar, na medida em que os alunos com mães com menores qualificações apresentam taxas de sucesso mais baixas;
  • Contudo, existe uma variação regional e local nos resultados apresentados, sendo detetáveis assimetrias entre distritos e conjuntos de escolas, evidenciando que, para os mesmos níveis de rendimentos dos agregados e de qualificações das mães, é possível encontrar taxas de sucesso mais elevadas em alguns distritos e conjuntos de escolas;
  • Esta observação evidencia que há outros fatores que influenciam o sucesso escolar dos alunos, fatores esses que interessa explorar, e que contrariam a relação causa/efeito entre o contexto socioeconómico e o sucesso escolar dos alunos, genericamente comprovado.
Este estudo reforça a necessidade de colocar o foco na melhoria das aprendizagens e na inovação pedagógica como estratégia para a melhoria dos resultados, suportada pelo facto de ser possível inverter tendências preditas pelos baixos rendimentos.

Os resultados permitem ainda centrar a reflexão sobre aquela que é uma das funções primordiais da escola pública - nivelamento de oportunidades entre crianças oriundas de diversos meios socioeconómicos e promoção da mobilidade social - expondo a importância do investimento no ensino público como via para ultrapassar lógicas deterministas.

Medidas
Assim, impõe-se como prioridade para o Ministério da Educação:
  • Uma aposta na qualificação das escolas para a identificação de estratégias locais de promoção do sucesso escolar, suportada pela constatação de que diferentes estratégias geram resultados diferenciados;
  • Um investimento na Ação Social Escolar e em estratégias articuladas com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, no combate à pobreza na educação;
  • Um investimento na formação de adultos, em projetos de literacia para adultos, promovidos pelo Plano Nacional de Leitura e pela Agência Nacional para Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP), também em articulação estreita com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, tendo em vista uma valorização do conhecimento pelas famílias dos alunos;
  • Um reforço da complementaridade entre a avaliação externa e interna, numa perspetiva formativa e integrada.
No âmbito dos trabalhos de definição da estratégia para a promoção do sucesso escolar, o Ministério da Educação entende esta análise como um contributo inestimável e apostará na evidenciação das boas práticas que levam a que em algumas comunidades educativas os resultados gerados contrariem o determinismo socioeconómico.

A recolha de boas práticas de inovação pedagógica servirão de inspiração para a identificação de estratégias locais de promoção do sucesso escolar nas escolas e regiões com mais dificuldades."


via portal do governo...