sábado, 19 de março de 2016

a actualidade do dia-a-dia, nas escolhas do editor...!

José Cardoso
POR José Cardoso
Editor Adjunto



publicidade
Publicidade
As Escolhas do Editor

Bom dia,

Esta semana noticiosa foi dominada por dois temas: a confusão político-judicial no Brasil, com o sobe-e-desce-e-volta-a-subir de Lula da Silva a ministro e o movimento para fazer descer Dilma da Presidência; e, por cá, a ginástica político-partidária para a aprovação do Orçamento do Estado para 2016, o primeiro desde o 25 de Abril que teve o amen do PCP.

Nas Escolhas do Editor, proponho leituras relativas a cada um deles. Em relação ao Brasil, a semana foi alucinante. Por isso, e porque o Expresso Diário foi publicando durante toda a semana artigos sobre o caso, recomendo a leitura da crónica do Pedro Santos Guerreiro intitulada “Lula, um homem em fuga”, publicada num dos dias mais efervescentes da semana, 5ª feira, dia em que publicámos também um conjunto de artigos com as várias vertentes da crise.

Quanto ao Orçamento, aprovado na quarta-feira, recomendo a leitura do artigo do Filipe Santos Silva, que acompanhou a filigrana negocial por dentro, no Parlamento. Intitulada “o pão da maioria de mercearia e o circo da caranaguejola desconjuntada”, conta como BE e PCP aprovaram o Orçamento com o PS mas apresentaram já as suas reivindicações para 2017.

A semana abriu, porém, com a morte do ator-realizador-produtor-e-muitas-outras-coisas no mundo do espetáculo Nicolau Breyner. Além do perfil desta figura maior do teatro, da televisão e do cinema em Portugal nas últimas décadas, republicámos a entrevista que a Clara ferreira Alves lhe tinha feito em março de 2014 e que tinha sido publicada na Revista. “Antes pobrezinho em Lisboa do que rico em Escolomo”, disse-lhe na altura o também ator, argumentista, professor e alentejano emérito de Serpa.

No mesmo dia entrou em funções no CDS a nova líder do partido, “Boss AC”, ou seja Assunção Cristas. E, para perceber o que tem de novo o CDS pós-Paulo Portas, a Cristina Figueiredo mostra cinco ângulos para perceber o que muda. Uma leitura que também recomendo.

“Quando as nossas avós marcharam para a guerra” é o título de outro artigo que vale a pena reler. A Manuela Goucha Soares conta a história das portuguesas que, faz agora cem anos, durante a Grande Guerra, criaram, na retaguarda, verdadeiros batalhões de ajuda à população, disputando terreno e capacidade de influência. De um lado, a aristocracia católica, com a Assistência das Portuguesas às Vítimas da Guerra, do outro, as republicanas laicas, com a Cruzada das Mulheres Portuguesas.

Depois das revelações dos Arquivos Mitrokhin que fizemos na revista E de sábado passado – e atenção: este sábado há novas revelações, num segundo trabalho com que fechamos o tema, que volta a fazer capa da E -, publicámos esta semana no Expresso Diário mais três artigos sobre o tema. Depois de um texto sobre uma simpática viúva inglesa que era do KGB (3ª) e de uma conversa sobre o assunto com o politólogo António Costa Pinto e a historiadora Irene Pimentel (segundo os quais ainda há esqueletos no armário em Portugal), publicámos esta sexta-feira uma entrevista, do Miguel Cadete, a uma pessoa que também sabe do assunto, o “sovietólogo” José Milhazes.

Com estes últimos dias da semana dominados pela cimeira da União Europeia com a Turquia e pelo que a Europa quer fazer com os refugiados, destaco também o trabalho multimédia sobre o tema, o mais recente da série 2:59. Intitula-se “A crise de refugiados vai acabar com a Europa tal como a conhecemos” e é um excelente ponto da situação feito em 2 minutos e 59 segundos pela Cristina Peres.

Destaque, ainda, para o artigo da Isabel Leiria e da Joana Pereira Bastos sobre o que se passa com as provas de aferição. Depois de o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, ter feito marcha-atrás e anunciado que, afinal, este ano ainda não serão obrigatórias, ficando ao critério de cada escola, foram ouvir o que têm a dizer os vários intervenientes na questão do ensino.

É tudo por hoje, o Expresso Diário regressa na segunda-feira. Não se esqueça que já tem o semanário nas bancas e que tem o Expresso Online sempre em atualização

Boas leituras e um excelente fim de semana.




via mensagem do expresso...

em destaque...

Porque é que Lula é mau para uns e bom para outros?

A FERVER Os brasileiros voltaram hoje a descer às ruas. Na Avenida Paulista, em São Paulo, voltaram a ouvir-se palavras de ordem contra Lula da Silva e exigindo a demissão de Dilma Rousseff. Mas também há quem defenda o antigo Presidente. Afinal, o que é que faz de Lula um homem tão amado e odiado ao mesmo tempo?