terça-feira, 29 de março de 2016

licenciaturas 'à la carte'...?

Governo quer que cursos de dois anos deem acesso à universidade

O Ministério do Ensino Superior quer facilitar o acesso ao ensino superior dos alunos que frequentem os cursos Técnicos Superior Profissionais (TeSP), segundo um medida aprovada hoje em Conselho de Ministros.
 
 


Criado pelo anterior Ministério da Educação e Ciência, os TeSP são cursos de dois anos destinados sobretudo a alunos que optam por fazer o secundário através de cursos profissionais.

Hoje, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, anunciou alterações às normas que regulam os concursos especiais de acesso e ingresso no ensino superior, aprovadas hoje em Conselho de Ministros.

A mudança consiste em permitir que quem conclui um TeST possa ter “um diploma que dá acesso à licenciatura”, explicou o ministro, sublinhando que as alterações hoje aprovadas ainda terão de ser alvo de apreciação, e sujeitas a negociação com os parceiros.

O diploma segue agora para consulta ao Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), ao Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) e à Associação Portuguesa do Ensino Superior Privado.

Os TESP “são cursos de dois anos, que seguem a regulamentação europeia, e são sobretudo vocacionados especialmente para quem vem do ensino profissional e que lhes dá depois acesso, no quadro a definir por cada instituição, ao ensino superior”, explicou Manuel Heitor.

O Conselho de Ministros decidiu dedicar a reunião de hoje à Educação, Ciência e Ensino Superior como forma de celebrar o Dia Nacional do Estudante.

artigo do parceiro: Nuno Noronha