sexta-feira, 17 de junho de 2016

uma miscelânea auto-fágica... o mundo é [cada vez mais mais] um lugar equivocamente perigoso...!

Bom dia. 

Save the date: quinta-feira (pode ser o dia mais importante do ano)


 
Reino Unido em choque, Espanha encalhada, no Brasil há mais uma delação e mais uma demissão. Em França, a seleção pode não ganhar o Euro, mas Portugal está a ganhar à tuberculose. Tenha um bom fim de semana. Por Mónica Bello
 
Sexta-feira, 17 de JUNHO | 09:07
  DN
 

1. Reino Unido em choque
 
Acabara de sair da biblioteca de Birstall, onde tinha estado reunida com residentes locais, quando foi baleada e esfaqueada no meio da rua. Três tiros e várias facadas mataram Jo Cox aos 41 anos, eleita deputada em 2015 pelo Partido Trabalhista. Pouco se sabe sobre o homicida. Foi identificado como Thomas Mair, 52 anos, obcecado por livros, com histórico de perturbações mentais, mas as investigações prosseguem. Nas trincheiras da guerra a favor e contra o Brexit foram declaradas tréguas temporárias. As sondagens continuam a dar a vitória aos partidários da saída do Reino Unido da União Europeia e há uma unanimidade rara entre economistas. Os alarmes dispararam nas sedes dos bancos centrais do mundo. Da Suíça, ao Japão, aos EUA - sem falar do BCE, em Frankfurt - os olhos estão postos no referendo de quinta-feira, 23 de junho.
 
2. O imbróglio espanhol
 
À frente do PSOE nas sondagens, Pablo Iglesias, líder do Podemos, quer ser a alternativa a Rajoy. Iglesias diz que o socialista José Luis Zapatero foi "o melhor primeiro-ministro" da democracia espanhola e que consulta o antigo chefe de governo quando tem "dúvidas sobre temas importantes". À direita, o líder do Ciudadanos, Albert Rivera, deixou ontem bem claro que não apoiará um governo liderado por Mariano Rajoy, nem com a abstenção no momento da sua eventual investidura como primeiro-ministro. Tudo continua difícil na política espanhola e não se vislumbra solução para um governo que tem, obrigatoriamente, de sair das eleições que são já a 26 deste mês. Os "pactos serão tão ou mais difíceis do que antes. A diferença é que não pode haver terceiras eleições", explica ao DN Javier Zarzalejos, ex-braço-direito de José Maria Aznar na Moncloa e secretário-geral da Fundação para a Análise e Estudos Sociais. No meio deste póquer à espanhola, há uma agradável surpresa, apesar de tudo, algumas cartas na mesa, conta Miguel Angel Belloso.
 
3. Último episódio Lava-Jato
 
A réplica mais recente do terramoto político causado pelas delações da Lava-Jato teve epicentro no Palácio do Planalto. Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, uma subsidiária da Petrobras, citou, com detalhes, a participação de Michel Temer, presidente em exercício do Brasil e colega do delator no partido, no escândalo do Petrolão. Além de Temer, mais 24 políticos de primeiro escalão foram mencionados, entre os quais todos os membros da cúpula do PMDB, principal base do governo interino. Horas depois, demitiu-se o ministro do Turismo brasileiro, Henrique Alves, um dos nomeados por Sérgio machado no esquema e a terceira demissão do governo num mês. Temer desvalorizou as acusações e a saída do ministro, a oposição ameaça com impeachment.
 
4. Vacina contra a tuberculose deixa de ser para todos
 
É uma boa notícia. Só as crianças que pertencem a grupos de risco vão passar a receber a vacina da BCG, que é dada à nascença para proteger da tuberculose. A mudança acontece porque Portugal conseguiu reduzir a taxa da doença, agora abaixo das 20 pessoas por 100 mil habitantes. E não é a única anunciada para o novo Programa Nacional de Vacinação, que entra em vigor a 1 de janeiro de 2017: as crianças com problemas graves de saúde vão ter direito à vacina de meningite B, a vacina da tosse convulsa passa a ser recomendada às grávidas e a do vírus do papiloma humano, que provoca o cancro do colo do útero, é antecipada para os dez anos de idade e terá mais proteção a outros tipos do vírus.
 
5. Fumo branco
 
Os mais de dois mil lesados do BES que investiram cerca de 430 milhões de euros em papel comercial do grupo Espírito Santo vão receber 70% do dinheiro que investiram num prazo entre 5 e 10 anos. A proposta final foi concluída ontem, devendo dar entrada no Ministério das Finanças na segunda-feira para validação pelo ministro Mário Centeno. A solução encontrada agora e que contará com contribuições de várias entidades, incluindo o Fundo de Garantia de Depósitos e o Fundo de Resolução aplica-se, no entanto, apenas aos investidores que recorreram aos tribunais.
 
6. Privados e públicos na rua
 
O fim de semana promete ser quente na luta entre as escolas públicas e os colégios privados. Os participantes na "Marcha em Defesa da Escola Pública" vão chegar amanhã a Lisboa em três comboios vindos do norte, a que se juntam dezenas (e são mesmo muitas dezenas) de autocarros - só de Setúbal arrancam 30. No domingo, será a vez dos defensores dos colégios privados desfilarem nas ruas do Porto para demonstrar que estes saem mais baratos ao Estado do que as escolas públicas.
 
7. Santos da casa ou sai?
 
Fernando Santos, o selecionador nacional, está a terminar o contrato mas qualquer decisão sobre a respetiva renovação terá de esperar para se perceber o que Portugal pode fazer neste Euro 2016. O mais provável é que o assunto seja discutido no regresso da equipa a Portugal, mas se a seleção atingir os quartos-de-final a decisão pode ser anunciada ainda durante o europeu. Quem não tem muita fé no resultado da seleção portuguesa é Toni Polster, o melhor marcador de sempre da Áustria. É fã de Cristiano, mas "Portugal está muito longe de poder ser campeão europeu", diz ele ao DN. Noutras latitudes, o assunto é aldrabice e jogos olímpicos. Hoje, em Viena, a Federação Internacional de Atletismo anuncia a decisão: os russos podem ou não competir pelas medalhas nos Jogos do Rio?
 
8. Cem anos no Chiado, um taxista em Basileia e arte para os miúdos
 
Do advento do modernismo às instalações e performances do século XXI, o Museu Nacional de Arte Contemporânea, no Chiado, mostra, a partir de hoje, cem anos de história dos movimentos artísticos em Portugal. Em Basileia, Suíça, na maior feira de arte do mundo, são os colecionadores que andam em desassossego. Muitos olharam para o enorme quadro digital do autor alemão Gerhard Richter, mas foi Liu Yiqian quem o comprou. A obra chama-se 930-7 Stripe, tem dez metros de largura e custou três milhões de euros ao ex-taxista chinês que ficou milionário a comprar obras de arte com o cartão de crédito. De volta a Portugal, o que não faltam são programas para entreter as crianças nas férias com arte. De Norte a Sul há acampamentos no museu e até visitas ao palácio de Marcelo. Com sorte, talvez até com afetos do Presidente.
 
9. A grande roda
 
A futura Feira Popular de Lisboa, em Carnide, deverá ter um preço de entrada de dois euros, esperando-se que cada visitante gaste cerca de 20 euros. No primeiro ano de exploração, o espaço deverá receber 800 mil visitantes, que cinco anos depois deverão atingir 1,4 milhões. O projeto implicará um investimento de 70 milhões de euros. As projeções fazem parte de um estudo preliminar encomendado pela Câmara Municipal de Lisboa à JoraVision, empresa holandesa especializada no design e construção de parques de entretenimento. Quanto custou o estudo? 57 mil euros. O vereador do CDS João Gonçalves Pereira ficou "incrédulo" com o preço, o gabinete de Fernando Medina contesta as críticas. As obras, essas, estão aprazadas para arrancar no fim do ano...
 
... também é notícia
 
Um caderno com mais de uma dezena de desenhos inéditos de Vincent Van Gogh foi encontrado e será publicado em novembro. A editora não adiantou pormenores como quando ou onde foi encontrado, mas salientou que a autenticidade dos desenhos está garantida por vários pareceres de especialistas na obra do pintor.
 
Selfies na lua-de-mel? Para este casal japonês era preciso algo mais para gravar um momento tão especial. Na verdade foram vários, já que Kaz e Mariko escolheram dar uma volta pelo mundo, tendo já visitado 45 países. E em vez de uma normal máquina fotográfica levaram um drone. Kaz admitiu à BBC que só o tinha experimentado duas vezes antes de chegar a Singapura, mas parece que rapidamente ganhou-lhe o jeito e captou imagens impressionantes de locais tão diferentes como a Amazónia ou o Dubai.
 
E hoje...
 
Os ministros das Finanças da União Europeia vão reunir-se no Luxemburgo e um dos temas que poderá ser discutido será o adiamento de sanções a Portugal e Espanha devido ao défice excessivo. No Euro 2016, enquanto Portugal realiza o último treino antes de defrontar a Áustria, o dia ficará marcado por mais três jogos. A Espanha e a Croácia podem desde já juntar-se à França nos oitavos de final caso vençam a Turquia e a República Checa, respetivamente. No Grupo E também a Itália poderá seguir em frente se derrotar a Suécia, mas a equipa de Ibrahimovic, que empatou no primeiro jogo, procura os três pontos, para não complicar as contas.
 
com Elisabete Silva