quinta-feira, 21 de maio de 2015

a actualidade do dia-a-dia, numa visão pessoal do jornalista...!

Bom dia, já leu o Expresso Curto Bom dia, este é o seu Expresso Curto
Henrique Monteiro
Hoje por Henrique Monteiro
Redator Principal
 
21 de Maio de 2015
 


Hoje não há notícias, é só promessas 


Ficaremos melhor depois das eleições, prometem os socialistas; ou já estamos a ficar, diz a coligação PSD/CDS. Seja quem for a ganhar mais lugares no Parlamento, no início do Outono, do que não há dúvida é que ficaremos melhor. Mais dinheiro no bolso, menos impostos e uma série de outras promessas. Entre a apresentação do programa eleitoral do PS, que o Expresso pormenoriza, e a resposta dada no Parlamento pelo Governo e partidos da maioria, percebe-se que a grande divergência é o ritmo, a velocidade a que voltaremos a ficar mais ricos.
Ambos os blocos se comprometem a cumprir as normas europeias, nomeadamente o Tratado Orçamental e, se há vozes críticas no PS, elas são contra propostas que vêm do grupo de especialistas: a redução da TSU e o contrato único para trabalhadores. Esta noite, conforme noticia a SIC, alguns dirigentes socialistas mostraram muitas reservas acerca dessas medidas. Do que disse António Costa na apresentação do programa eleitoral que agora está em discussão, há um ponto (além do recuo na TSU das empresas) que é muito significativo: as grandes obras necessitarem de dois terços dos votos no Parlamento para poderem avançar. Bernardo Ferrão notou isso mesmo e escreveu-o neste texto, ainda ontem. Hoje. o 'Público' faz o destaque sobre o tema, o 'DN' coloca-o no cimo da primeira página e o 'I' anuncia que o 'socratismo' foi metido na gaveta. 


OUTRAS NOTÍCIAS
Claro que a vitória do Benfica, ou melhor os incidentes que rodearam a vitória do Benfica na Liga, parecem uma pilha Duracell - duram e duram e duram. Há imagem de um polícia a atirar uma garrafa contra arruaceiros no Marquês. Há a manchete do 'Público' que informa que a PSP proibiu escudos e proteções para dar boa imagem; há o 'DN' que noticia, também em manchete, que "Bombeiros acusam câmara e Benfica de não cumprirem a lei" e há o 'Correio da Manhã' que informa que a PSP ainda não pediu desculpa a agredidos.

Enquanto o Bloco de Esquerda o PCP e os 'Verdes' acusam o Governo de ter dado um bónus fiscal de 240 milhões ao Novo Banco e o Governo desmente que tenha havido tratamento de favor, os reguladores e a Justiça dos EUA, com menos discussão e mais eficácia, fazem as manchetes dos jornais económicos e das televisões internacionais de hoje: Seis dos maiores bancos do mundo foram multados em 5,7 mil milhões de dólares (5,1 mil milhões de euros) por manipulação de câmbios. Eis a lista: JP Morgan,Citigroup, Barclays, RBS (Royal Bank of Scotland) e UBS (União des Banques Suisses). A multa maior é do Barclays (2,4 mil milhões de US$), por ter recusado a participar nas investigações dos reguladores norte-americanos, suíços e britânicos. Todos se declararam culpados perante as acusações. O Bank of America também foi multado, embora num valor muito mais baixo 'apenas' 205 milhões. 

Uma série de documentos apreendidos no dia 2 de maio de 2011, quando Bin Laden foi apanhado pelos SEALs americanos, foi ontem revelada. Ali se vê um homem muito preocupado com a sua família enquanto fazia planos para destruições e mortes em massa. A CNN explica.

Entretanto, a histórica cidade de Palmira, na Síria, continua a ser destruída pela selvajaria do ISIS que toma posições cada vez mais importantes no Norte do Iraque, nomeadamente em Ramadi, de onde foge a população.

Próteses controladas pelo cérebro. Aproximação biónica a próteses controladas pelo pensamento é um tema que o 'The New York Times' tem andado a publicar e nos faz pensar que o mundo novo é mesmo admirável. Se seguir o link verá o Episódio 3, mas tem oportunidade de ver os dois anteriores e saber as datas dos três episódios que faltam.

E já que estamos a falar de saúde e bem-estar, não percam esta história (‘Filhos da Quimio’) que Nelson Marques contou sobre mães que deram à luz depois de saberem que tinham cancro. São três casos bem narrados e muito, mas muito, tocantes.

David Letterman, um dos mais famosos apresentadores de TV nos EUA, fez esta noite o seu último show na CBS. 33 anos depois, os Foo Fighters encerraram o 'Late Show' que, depois de muita especulação sobre quem seria o convidado - após lá terem passado todas as personalidades relevantes do país - acabou por ser uma recapitulação do muito que o apresentador passou. Eis a descrição do The Guardian. E aqui a visão sobre o homem feita pelo NYT


O QUE DIZEM OS NÚMEROS
1,4% - Variação positiva do PIB português no primeiro trimestre de 2015 (exatamente a média da EU, mas acima da média da área Euro), contra 0,6% no trimestre anterior
4% - Aumento das exportações
-1,4% - Diminuição das importações
13,7% - Taxa de desemprego no primeiro trimestre (13,5 no trimestre anterior).
1,1 – Aumento do emprego em termos homólogos (0,5 no trimestre anterior)
0,5% - Diminuição da população ativa (contra 1,6% no trimestre anterior
Todos este números foram divulgados ontem pelo INE.

-0,002 – Taxa negativa a seis meses a que Portugal vendeu 300 milhões de euros a seis meses.
3 500 000 Euros – dinheiro gasto do Estado com o policiamento dos jogos de futebol da I Liga
34 000 000 – Número de airbags que o construtor japonês Takata tem de reparar por terem defeito. O caso passa-se nos EUA e abarca veículos como BMW, Chrysler e Dodge.


FRASES
“Raios me partam se aceitar mais austeridade”, Yanis Varoufakis, ministro das Finanças grego ao “The New York Times”, num trabalho feito pela jornalista Suzy Hansen, intitulado ‘Um ministro das Finanças à medida da tragédia grega?’. Haja confiança em Zeus, o deus do Olimpo grego que atirava raios sobre os homens.

“Os ‘boat people’ Rohinga estão a tornar-se nos judeus da Ásia”, David Pilling, no FT, acerca de um conjunto de refugiados asiáticos, sem pátria, que nenhum país quer ter no seu território. No artigo recorda-se o barco com judeus que ninguém recebeu em Cuba, nem nos EUA, nem no Canadá e teve de voltar à Europa nazi.

“A época está no fim, não correu como desejávamos e os adeptos têm direito a manifestar o seu descontentamento. Já não têm, porém, o direito de interferir com a planificação da equipa, mesmo numa altura em que se joga para cumprir calendário. Até o bloqueio a Cuba está no fim, há coisas que já não se usam”, Palavras de Francisco J. Marques, diretor de informação do FC Porto, na newsletter do clube, referindo-se ao modo como os SuperDragões receberam os futebolistas no centro de estágio do clube. 

“Embora o Partido Socialista insista que é um animal diferente do movimento radical Syriza, há uma espetacular similaridade em algumas das propostas e na linguagem pré-eleitoral”, Ambrose Evans-Pritchard, no jornal britânico ‘The Telegraph’. Passos Coelho e Paulo Portas fizeram um amigo.

“Metade das mentiras que os jornais publicam nem sequer são verdade”, Mark Twain, citado pelo Comendador Marques de Correia no último Expresso Diário. Isto mostra a minha independência, porque estou zangado com o Comendador e com o que ele disse de mim nesta entrevista


O QUE EU ANDO A LER
Pois na minha difícil tarefa de perceber o que se passa pus-me a ler o Politéia (ou se quiserem, Política) de Aristóteles. Não comecem já a pensar que é algo muito antigo e desatualizado. Porque só é antigo (tem 2300 anos, mais ou menos). Aristóteles que foi discípulo de Platão e professor de Alexandre o Grande, achava que o Estado poderia ser governado por um, por poucos ou por muitos. Se fosse só por um, seria uma Monarquia (caso fosse boa) ou uma Tirania (caso degenerasse); se fosse por poucos, seria uma Aristocracia (se fosse boa) ou uma Oligarquia (se degenerasse); no caso de ser por muitos, seria um Politéia (caso fosse boa) ou uma Democracia - diríamos hoje Demagogia - (caso degenerasse). A pergunta para quem viu o debate de ontem no Parlamento é: em que regime vivemos: Politéia ou Demagogia? Cada qual que responda.
Aqui fica o livro, de graça e sem violar direitos, para quem estiver muito interessado, ou o seu resumo no youtube, para quem não tem tempo e quer ouvir um professor brasileiro a explicar estes (e outros conceitos). Se isto continua assim, recomendarei a Ética a Nicómaco (excelente tradução em português de António Castro Caeiro), onde está a teoria da Justiça. Tanto deputado, ex-deputado, ministro e ex-ministro, Presidente e ex-Presidente que necessitavam de ler.

E pronto, amanhã vem tirar o Expresso Curto a Mafalda Anjos, que não é de Tondela nem de Benfica. Tal como eu, é daqui do concelho de Oeiras, onde o Expresso, semanal, diário e curto têm sede.