sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

a actualidade do dia-a-dia, numa visão pessoal do jornalista [1]...!

Bom dia. Contas, só mais para a tarde
 
Hoje há mais Orçamento e domingo é dia de ir votar. Seja qual for a conclusão, de um e de outro, tenha um bom fim-de-semana. Mónica Bello
 
Sexta-feira, 22 de JANEIRO | 08:47
  DN
 

1. Otimistas
 
Mário Centeno apresentou ontem ao princípio da noite o esboço do Orçamento do Estado para este ano. Um cenário otimista, com o défice apontado a 2,6% graças a cortes na despesa, uma redução da dívida pública para 126% do PIB e a economia a crescer acima das previsões da Comissão Europeia, do Banco de Portugal, do FMI e da OCDE. Taxas de juro baixas e preço do petróleo a descer, mais investimento - sobretudo dos fundos comunitários - e mais emprego vão fazer a diferença, acredita o governo, que vai tentar convencer Bruxelas das boas intenções e da estratégia de consolidação orçamental. Mais explicações só lá mais para a tarde de hoje, prometeu o ministro das Finanças.
 
António Costa está otimista, mas na verdade cercado, escreve Viriato Soromenho-Marques. Os sinais de Draghi para injetar mais estímulos na economia em março e uma ligeira subida do preço do petróleo podem até ter acalmado o ambiente nas bolsas. Mas se dermos uma espreitadela a este quadro sobre o estado dos mercados financeiros do mundo, a economia não está de feição para acreditar em previsões muito agradáveis. Voltar a confiar não parece estar nos planos imediatos dos investidores privados. Nem cá dentro nem lá fora.



2. O novo inquilino de Belém
 
Marcelo vence no domingo com 52% dos votos, mas não está posto de parte ser obrigado a ir a uma segunda volta com Sampaio da Nóvoa, que nesta última sondagem da Universidade Católica para o DN, Jornal de Notícias, Antena 1 e RTP, ganha votos, e de que maneira, a Maria de Belém, chegando aos 22%. A candidata socialista cai estrondosamente, arriscando a ser ultrapassada por Marisa Matias que, por sua vez, esmaga o comunista Edgar Silva. Só surpresas, ou talvez não, para o último dia da campanha. Belém arrisca somar ainda menos votos no domingo, uma vez que esta sondagem foi realizada antes do assunto "subvenções vitalícias" que animou a semana e de que a candidata, contra tudo, contra todos e contra o bom senso, não abdica.
 
Não parece haver grandes dúvidas sobre a vitória de Marcelo, mesmo que o nível da abstenção o obrigue a ir a votos uma segunda vez e Pedro Marques Lopes antevê o desempenho do professor em Belém. Está lá? Daqui é o Presidente.
 

 
3. Mudar de vida
 
São licenciados, sabem falar várias línguas, têm capacidade de mobilização e persuasão, sabem falar em público e há milhares no desemprego. Os professores são os alvos preferidos de imobiliárias e multinacionais para vender e gerir equipas de vendas. A venda de casas em Portugal, para mais, está a disparar - o terceiro trimestre do ano passado foi o melhor de sempre desde 2009 - e vender casas é um recurso, mesmo que temporário, para quem perdeu o emprego. Este ano, mais de 22900 professores não conseguiram ser colocados numa escola. Hoje, aliás, Ministério da Educação e sindicatos começam a discutir o novo modelo de contratação de professores e o fim do regime que permitia às escolas abrir concursos de acordo com as respetivas necessidades. A bola de neve da mudança parece que ganhou vida própria na educação.
 

 
4. Somos todos amigos
 
É o problema de sempre neste país pequeno. Somos todos, primos, conhecidos, arranja-se sempre um amigo do primo do tio que tem outro amigo. Não é novidade. Portugal melhorou na burocracia, mas os portugueses ainda não acreditam que os serviços funcionam e acreditam que por via das dúvidas, o melhor é "meter uma cunha". Foi também o que aconteceu nos vistos gold, em que a investigação junto vários casos de pedidos "informais" feitos aos ex-diretores de Serviços Estrangeiros e Fronteiras e do Instituto dos Registos e Notariado. O amigo do cunhado, o genro e outras histórias de cunhas para ler aqui.
 

 
5. Domingo no Parque
 
Caetano Veloso e Gilberto Gil celebram meio século de carreira com 2 CD e 1 DVD do concerto que no ano passado os juntou em Portugal. Há canções dos tempos da revolução tropicalista, dos anos no exílio em Lobdres e quando foram Doces Bárbaros com Gal Costa e Maria Bethânia. Novidades também vão acontecer hoje com o regresso dos Tindersticks. The Waiting Room é o novo álbum e o músico e vocalista Stuart Staples falou ao DN.
 
Um bom programa para o fim-de-semana, que se prevê traga de novo um pouco de sol e menos chuva. Bastante melhor do que os especialistas do tempo preveem para o outro lado do Atlântico Norte, onde vai chegar uma tempestade de neve que ameaça paralisar Washington, Baltimore e Nova Iorque. Mais de 2700 voos já foram cancelados, escolas vão fechar e transportes vão parar. Se também ficar em casa, e enquanto espera pelos resultados presidenciais, aproveite para perceber se gostava mesmo de morar numa casa destas.
 

 

 
E ainda...
 
No mundo: Durante a noite chegaram notícias de outro atentado mortal em África, desta vez na Somália. Pelo menos 20 pessoas morreram num ataque a um restaurante.
 
Nas artes: É uma questão de cultura: Star Wars desilude nas bilheteiras chinesas
 
Nos media: Facebook desafia nas praças de touros e permite denunciar fotos de touradas em Espanha
 
No desporto: Pinto da Costa recandidata-se à presidência do FC Porto. E diz ter sido ludibriado por Jorge Mendes

via dn...